sicnot

Perfil

Mundo

Fabricantes de armas dos EUA fazem campanhas para vender a crianças

Os fabricantes de armas dos Estados Unidos reforçaram as campanhas de marketing dirigidas às crianças com a oferta de espingardas modificadas para meninos e pistolas cor-de-rosa para meninas, refere um estudo hoje divulgado.

Cliff Owen

Os potenciais clientes são as crianças com idades compreendidas entre os 06 e os 12 anos, segundo o estudo de 54 páginas, realizada pelo Centro de Política de Violência, uma associação que luta contra as armas de fogo.

"Como os seus primeiros clientes estão a ficar velhos e a morrer, a indústria de armas de fogo redirecionou a sua atenção para as crianças dos Estados Unidos. Assim como a indústria de tabaco procura novos fumadores para substituir os velos, os fabricantes de armas procuram novos atiradores a quem vender os seus produtos letais", sublinha o relatório.

Para salientar os esforços do marketing para direcionar o produto para as crianças, o centro dá como exemplo uma espingarda projetada especialmente para crianças, com uma gama de cores brilhantes, inspirada em lápis de cores.

Aquelas espingardas são propositadamente feitas com mais plástico, para que sejam mais atrativas para as crianças.

A campanha é apoiada pela poderosa Associação Nacional de Espingardas, o principal 'lobby' de armas dos Estados Unidos, que está a trabalhar para convencer os pais a oferecer aos seus filhos um primeiro contacto com as armas.

Hoje, um terço das crianças norte-americanas vive numa casa com pelo menos uma arma. Dois milhões vivem perto de uma arma não segura, refere a Everytown, uma organização pela segurança.

Nos Estados Unidos, são registados semanalmente graves acidentes que envolvem uma criança e uma arma.

Em algumas zonas do país, as armas de fogo tornaram-se na segunda maior causa de mortalidade infantil, depois dos acidentes rodoviários.

Lusa

  • Dirigentes do GD Ribeirão acusados de auxílio à emigração ilegal
    1:34

    Desporto

    Oito dirigentes do Grupo Desportivo de Ribeirão, um clube de Vila Nova de Famalicão que fechou as portas em 2015, foram acusados pelo Ministério Público.Em causa, estão suspeitas de auxílio à emigração ilegal ou falsificação de documentos, relacionadas com transferências de jogadores estrangeiros em situação ilegal.

  • Capacetes Brancos agradecem Óscar para filme sobre a guerra na Síria
    1:34

    Óscares 2017

    O Óscar para melhor documentário curto foi atribuído a um filme sobre a guerra na Síria. "The White Helmets" retrata o trabalho dos Capacetes Brancos, uma equipa de voluntários que ajuda no salvamento e resgate de habitantes sírios atingidos pelo conflito no país. O Fundador dos Capacetes Brancos já veio fazer um agradecimento público pela atribuição deste galardão. Raed Saleh diz que é uma motivação para os voluntários que todos os dias arriscam a vida para salvar outras pessoas.

  • O primeiro eclipse solar do ano
    0:57
  • O Nokia 3310 está de volta
    1:16