sicnot

Perfil

Mundo

Cinco membros do Governo britânico pedem saída da UE

Cinco membros do Governo liderado pelo primeiro-ministro britânico, David Cameron, demarcaram-se hoje da posição oficial do executivo e anunciaram que vão fazer campanha a favor da saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

O titular da pasta da Justiça, Michael Gove, afirmou que a saída da UE assegura ao país um "futuro melhor"

O titular da pasta da Justiça, Michael Gove, afirmou que a saída da UE assegura ao país um "futuro melhor"

© Stefan Wermuth / Reuters

Momentos depois de Cameron ter anunciado que o referendo sobre a permanência do Reino Unido no bloco comunitário vai ser realizado a 23 de junho deste ano, o titular da pasta da Justiça, Michael Gove, afirmou, num comunicado, que a saída da UE assegura ao país um "futuro melhor".

O ministro do Trabalho e Pensões, Iain Duncan Smith, a responsável britânica para a Irlanda do Norte, Theresa Villiers, o titular da pasta da Cultura, Meios de Comunicação e Desporto, John Wittingdale, e o líder da Câmara dos Comuns, Chris Grayling, também anunciaram que não apoiam a linha oficial do Governo, que apoia a permanência na UE.

Michael Gove, amigo pessoal de Cameron, admitiu que comunicar a sua posição foi "a decisão mais difícil" da sua "vida política".

"É uma oportunidade que não surge duas vezes nas nossas vidas. Por essa razão, vou permanecer fiel aos meus princípios e vou aproveitar a oportunidade deste referendo para abandonar uma UE presa no passado", sublinhou o ministro da Justiça britânico.

Outros altos cargos do Partido Conservador britânico também já tinham admitido que defendiam a saída britânica, conhecida como 'Brexit'. Foi o caso das secretárias de Estado para o Emprego, Priti Patel, e da Energia, Andrea Leadsom.

Já outros ministros, que no passado mostraram-se críticos da permanência na UE, decidiram alinhar com a posição oficial do executivo.

Entre eles está a ministra do Interior, Theresa May, o ministro da Economia, George Osborne, e o ministro da Saúde, Jeremyh Hunt.

Numa breve declaração em frente ao número 10 de Downing Street (residência oficial e gabinete do primeiro-ministro britânico), David Cameron confirmou que, a partir de hoje, os elementos da equipa governativa "têm a liberdade de fazer campanha em função do ponto de vista pessoal".

Na mesma intervenção, Cameron argumentou que o Reino Unido ficará "mais seguro, mais forte e mais próspero no seio de uma UE reformada", acrescentando que as concessões negociadas na sexta-feira em Bruxelas com os outros líderes comunitários dão ao país "o melhor dos dois mundos".

Na sexta-feira à noite, Cameron conseguiu o acordo da UE para um estatuto especial do Reino Unido e reformas em quatro áreas para fazer campanha pelo 'sim' no referendo sobre a permanência do país entre os 28 Estados-membros: competitividade, governação da zona euro, benefícios sociais e soberania nacional.

Lusa

  • "Desisto com muita dificuldade, só abandono a liderança se houver rebelião"
    2:39

    País

    Eleito com menos de 40% dos votos, Fernando Negrão desvaloriza as críticas de alguns deputados que consideram que a nova liderança parlamentar do PSD não está legitimada. Em entrevista à SIC Notícias, disse esta quinta-feira que não há problema se houver deputados a sair porque podem sempre ser substituídos.

  • Os 36 golos dos 16 avos da Liga Europa

    Liga Europa

    A jornada europeia ficou marcada, no panorama das equipas portuguesas, pelo apuramento do Sporting e pela eliminação do Sporting de Braga. Os leões passam assim a ser o único clube luso em prova na Liga Europa. Nos oitavos de final, o emblema de Alvalade pode encontrar adversários como o Arsenal, o Atlético de Madrid ou o AC Milan. O sorteio realiza-se esta sexta-feira, ao meio-dia. Aqui, veja ou reveja todos os golos da segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa.

  • Arqueólogos anunciam descoberta de selo com assinatura do profeta Isaías

    Mundo

    Arqueólogos israelitas afirmam ter descoberto a marca de um selo num pedaço de argila que exibe o que consideram ser a assinatura do profeta bíblico Isaías, a quem se atribui a autoria de um livro do Antigo Testamento e de vários excertos do Novo Testamento. O achado arqueológico agora divulgado poderá ser a primeira prova da existência do profeta Isaías até agora encontrada. A descoberta aconteceu em Jerusalém, próximo do local onde foi encontrada um outro selo com a impressão da assinatura do rei Ezequias de Judá.

  • Não dá mais, Brasil!
    18:00
  • Escolas da Portela e Moscavide degradadas e com amianto
    3:00