sicnot

Perfil

Mundo

Coreia do Norte realiza disparos de artilharia no mar perto da fronteira

A Coreia do Norte realizou hoje disparos de artilharia no mar, na costa oeste, perto da fronteira marítima com a Coreia do Sul, informou o exército de Seul.

© KCNA KCNA / Reuters

Os militares sul-coreanos disseram que a Coreia do Norte realizou disparos de artilharia "várias vezes" a partir da costa oeste do Mar Amarelo, durante a manhã.

Os disparos no mar, que não atravessaram a disputada fronteira, foram ouvidos na ilha sul-coreana de Baengnyeong e provavelmente realizados no âmbito de um exercício militar, escreve a agência espanhola Efe.

As duas Coreias vivem uma época marcada pela tensão depois de o regime norte-coreano de Kim Jong-un ter levado a cabo o seu quarto teste nuclear a 06 de janeiro e de a 07 de fevereiro ter lançado o seu segundo satélite para o espaço a bordo de um foguete espacial, uma operação condenada pela comunidade internacional que o considerou um ensaio encoberto de mísseis que viola resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

Os exércitos da Coreia do Sul e Estados Unidos terminaram esta segunda-feira as manobras navais contra ataques submarinos como resposta ao recente lançamento espacial da Coreia do Norte, considerado um ensaio de mísseis.

Os Estados Unidos mantêm 28.500 militares na Coreia do Sul e comprometem-se a defender o seu aliado de um eventual ataque por parte do Norte como legado da Guerra da Coreia (1950-53).

Lusa

  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.