sicnot

Perfil

Mundo

Bashar al-Assad marca eleições na Síria para 13 de abril

O Presidente da Síria, Bashar al-Assad, anunciou esta segunda-feira que as eleições legislativas se vão realizar a 13 de abril, depois dos Estados Unidos e da Rússia anunciarem um plano de cessar-fogo.

SANA HANDOUT

As eleições legislativas foram anunciadas por decreto presidencial, que também fixa o número de lugares atribuídos a cada província do país. As últimas eleições legislativas ocorreram em 2012.

Um acordo de cessar-fogo vai entrar em vigor à meia-noite de sábado em Damasco (2:00 de sábado em Lisboa), refere um comunicado comum entre os Estados Unidos e a Rússia, divulgado em Washington pelo Departamento de Estado.

A cessação das hostilidades, que desde há cinco anos provocou centenas de milhares de mortos e milhões de refugiados, não abrange no entanto o daesh e a Frente al-Nursa, o ramo da Al-Qaida na Síria.

«A cessação das hostilidades aplica-se às partes envolvidas no conflito sírio que indicaram que vão respeitar e aplicar os termos» do acordo, acrescenta o comunicado.

As partes deverão indicar aos Estados Unidos ou à Rússia a sua adesão a este acordo até às 12:00 locais (14:00 em Lisboa) de sexta-feira.

Segundo o decreto presidencial, os eleitores vão eleger 250 membros para a Assembleia do Povo distribuídos pelas províncias de Damasco, Aleppo, Homs, Hama, Lattakia, Idleb, Tartous, Raqqa, Deir Ezzor, Hasaka, Daraa, Sweida e Quneitra.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras