sicnot

Perfil

Mundo

Criador do Facebook solidário com luta da Apple

O fundador da rede social Facebook, Mark Zuckerberg, declarou-se esta segunda-feira solidário com o administrador da Apple, Tim Cook, no combate que trava com o Governo norte-americano para não desbloquear o iPhone do autor de um atentado.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Carlos Garcia Rawlins / Reuters

«Não acho que exigir acessos secundários a dados encriptados vá ser uma forma eficaz de aumentar a segurança ou seja realmente a coisa certa a fazer. Estamos bastante solidários com Tim e a Apple», disse Zuckerberg no maior congresso mundial de telemóveis, em Barcelona.

Ao mesmo tempo, prosseguiu, «sentimos que, ao dirigir esta grande comunidade em rede, temos uma grande responsabilidade em ajudar a impedir o terrorismo e os diferentes tipos de ataques».

«Se tivermos a oportunidade de trabalhar com o Governo para nos assegurarmos de que não haverá ataques terroristas, obviamente aproveitaremos essa oportunidade».

A polémica surgiu no início deste mês, quando a Apple se recusou a ajudar o FBI a aceder ao conteúdo de um iPhone pertencente ao falecido Syed Farook que, juntamente com a mulher, protagonizou um tiroteio em San Bernardino, na Califórnia, em dezembro passado, fazendo 14 vítimas mortais.

A Apple argumenta que cooperar com a investigação, abrindo uma exceção à proteção de dados dos telemóveis que produz, vai minar a privacidade e a segurança dos seus aparelhos, enquanto o Governo norte-americano contrapõe que se trata de um pedido isolado que ajudará numa investigação importante.

Lusa

  • "Foi bonito estar no Real Madrid"

    Desporto

    O internacional português Cristiano Ronaldo insinuou este sábado, após a conquista da Liga dos Campeões, em Kiev, na Ucrânia, com um triunfo por 3-1 frente ao Liverpool, que poderia deixar a equipa do Real Madrid.

  • Leão de Ouro de Souto de Moura faz "muito bem à alma" dos portugueses
    1:53
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49
  • Chamas do incêndio no Europa Park na Alemanha atingiram os 15 metros de altura
    0:57