sicnot

Perfil

Mundo

Bélgica reintroduz controlo na fronteira com França devido a Calais

A Bélgica anunciou hoje a reintrodução temporária dos controlos na fronteira com França para impedir a entrada de migrantes que abandonem a "Selva" de Calais, no norte de França.

Jan Jambon, ministro do interior belga.

Jan Jambon, ministro do interior belga.

Reuters

"Informámos a Comissão Europeia de que vamos suspender temporariamente Schengen", disse o ministro do Interior belga, Jan Jambon, numa conferência de imprensa em Bruxelas.

"Vamos realizar controlos em diferentes localizações estratégicas, pontos utilizados pelos traficantes já detetados pela polícia", acrescentou.

As autoridades francesas decidiram evacuar a metade sul do campo de refugiados de Calais e estabeleceram um prazo, que terminava hoje, mas foi entretanto suspenso até haver uma decisão do tribunal administrativo de Lille.

Cerca de 4 mil migrantes, oriundos sobretudo da África subsaariana, vivem em condições muito precárias no campo, conhecido como "Selva", à espera de uma oportunidade para atravessar clandestinamente o Canal de Mancha e chegar ao Reino Unido.

O receio da Bélgica é que os migrantes tentem chegar ao porto belga de Zeebrugge, para atravessar o Canal através de uma rota diferente.

"O desmantelamento da chamada 'Selva' é possível e real. Já observámos migrantes em trânsito", disse o ministro belga.

"Há o potencial de milhares de migrantes virem para cá -- não se trata de candidatos a asilo, mas de migrantes em trânsito que não querem ficar em França nem na Bélgica, querem ir para o Reino Unido", acrescentou.

O espaço de livre circulação Schengen abrange 26 países e prevê nas suas regras que um país reponha temporariamente o controlo de fronteiras em circunstâncias excecionais de "ameaça grave para a ordem pública ou a segurança interna".

Com a Bélgica, são agora sete os países do espaço Schengen que reintroduziram controlos de fronteira em resposta ao fluxo inédito de migrantes e refugiados na Europa.

Lusa

  • Traço contínuo às curvas
    2:42
  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Jovens impedidas de embarcar de leggings

    Mundo

    A moda das calças-elásticas-super-justas volta a fazer estragos. Desta vez nos EUA onde duas adolescentes foram impedidas de embarcar num voo da United Airlines devido à indumentária, que não cumpria com as regras dos tripulantes ou acompanhantes da companhia aérea norte-americana.

    Manuela Vicêncio

  • Cristas calcula défice de 3,7% sem "cortes cegos" das cativações
    0:45

    Economia

    Assunção Cristas diz que o défice de 2,1% só foi conseguido porque o Governo fez cortes cegos na despesa pública. Esta manhã, depois de visitar uma unidade de cuidados continuados em Sintra, a presidente do CDS-PP afirmou que, pelas contas do partido, sem cativações, o défice estaria nos 3,7%.

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.