sicnot

Perfil

Mundo

Governo da Colômbia e FARC aceleram negociações para acordo de paz

O Governo da Colômbia e a guerrilha das FARC chegaram a um acordo para ultrapassar a última crise e acelerar as negociações para firmar um acordo de paz "o mais depressa possível", foi hoje anunciado em Havana.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Enrique de la Osa / Reuters

Em comunicado, a Noruega e Cuba, países garantes do processo de paz, anunciaram que as duas partes colombianas alcançaram um acordo para "ultrapassar divergências recentes e normalizar as conversações".

No entanto, o texto não precisa a data de regresso à mesa negocial, após a crise suscitada por imagens de negociadores das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) numa sessão pública numa aldeia colombiana, escoltados por guerrilheiros armados.

Também não é referido quando se prevê o regresso a Cuba do principal negociador das FARC, "Iván Márquez", e do guerrilheiro "Joaquín Gómez", acusados por Bogotá de violarem as regras com o Governo devido às suas viagens à Colômbia para promoverem a "pedagogia da paz" nas suas fileiras.

Na perspetiva do Executivo, os negociadores da guerrilha romperam o acordo que proíbe entrar em povoações, estabelecer contactos com a população civil ou promover manifestações políticas.

"Vão continuar a ser respeitados todos os compromissos assumidos pelas partes sobre as medidas de apaziguamento e reforço da confiança", indica o texto divulgado hoje na capital cubana.

Nos últimos dias, e para desbloquear a situação, decorreram em Havana intensos contactos entre as duas partes com a mediação dos países garantes, incluindo um encontro entre os chefes da diplomacia de Cuba e da Noruega, Bruno Rodríguez e Børge Brende.

Em setembro, Governo e guerrilha apontaram 23 de março como data limite para a assinatura do acordo de paz, apesar de ainda permaneceram dúvidas sobre o cumprimento deste prazo.

Entre os temas que permanecem por solucionar inclui-se o cessar-fogo bilateral e definitivo, o abandono das armas e a concentração dos guerrilheiros para a sua desmobilização.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.