sicnot

Perfil

Mundo

Ilha canadiana oferece-se para acolher norte-americanos anti-Trump

Uma ilha canadiana propõe-se acolher os norte-americanos que se opõem a Donald Trump caso o milionário norte-americano, na corrida republicana para a Casa Branca, for eleito Presidente dos Estados Unidos em novembro.

Um cartaz do candidato presidencial conservador, Donald Truump à porta de uma casa em West Des Moines, Iowa, nos Estados Unidos

Um cartaz do candidato presidencial conservador, Donald Truump à porta de uma casa em West Des Moines, Iowa, nos Estados Unidos

© Jim Young / Reuters

Um site da Internet concebido por um animador de rádio encoraja os norte-americanos a instalarem-se na ilha de Cabo Bretão, situada na província da Nova Escócia, a 400 quilómetros da fronteira norte-americana, se Donald Trump vencer a eleição presidencial.

O endereço oferece igualmente uma ligação para o posto de turismo da ilha, destacando a habitação a preços acessíveis, bem como sistema de saúde universal do Canadá, numa alusão aos discursos extravagantes do magnata do imobiliário na campanha republicana.

"Não espere que Donald Trump seja eleito Presidente para encontrar outro lugar para viver", explica o site.

"Comece já hoje e, no dia do escrutínio, só terá de apanhar um autocarro para começar a nova vida no Cabo Bretão, onde as mulheres podem abortar, os muçulmanos circulam livremente e os muros servem apenas para erguer as nossas casas", lê-se na página.

A responsável turística da ilha, Mary Tulle, disse à agência France Press que "não fazem discriminação segundo a filiação política" e que "todas as pessoas são bem vindas", sublinhando os laços históricos e comerciais com os Estados Unidos da América.

Como a sua mãe fala escocês, "o próprio Donald Trump pode vir", afirmou, acrescentando que a ilha foi colonizada por escoceses.

Devido ao interesse que os media norte-americanos dedicaram ao site, o posto de turismo da ilha recebeu mais de 300.000 visitas numa semana, mais do que em todo o ano passado, segundo a mesma responsável.

"Recebemos 5.000 pedidos de informação específicos sobre a ilha por parte de norte-americanos, sobre a imigração para o Canadá, as oportunidades de trabalho e o imobiliário", precisou.

Lusa

  • Mação volta a enfrentar dias de pânico
    3:33
  • Cenário mais estável no Sardoal
    0:55

    País

    O presidente da Câmara do Sardoal, Miguel Borges, disse esta manhã que a situação está mais calma. No entanto, o autarca pede que não se desmobilizem os meios porque a situação pode mudar de forma imprevisivel. Miguel Borges alertou ainda para o cansaço dos bombeiros e agentes da Proteção Civil.

  • Detida no Brasil portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos
    3:04

    Mundo

    A Polícia do Rio de Janeiro deteve uma portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos. Ana Resende fazia-se passar por funcionária do consulado e prometia vistos e outros documentos para tirar dinheiro das vítimas. Esta é a terceira vez que a polícia brasileira detém a portuguesa por acusações de burla.