sicnot

Perfil

Mundo

Polícia turca dispersa manifestação contra recolher obrigatório em Diyarbakir

A polícia turca dispersou hoje em Diyarbakir manifestantes que denunciavam as operações militares e o recolher obrigatório parcial imposto há quase três meses na grande cidade do sudeste da Turquia, de maioria curda.

© Sertac Kayar / Reuters

As forças policiais recorreram a gás lacrimogéneo e canhões de água contra os manifestantes, com alguns a responderem com pedras, assinalou um fotógrafo da agência noticiosa France-Presse (AFP).

Diversos bairros do distrito central de Sur, rodeado de muralhas da época romana e designado património mundial pela Unesco, estão sob recolher obrigatório desde 02 de dezembro.

O exército e polícia turcos desencadearam neste núcleo de pequenas ruelas entrelaçadas uma operação de grande envergadura para retomar o controlo das vastas zonas onde jovens militantes armados do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, a rebelião curda) ergueram barricadas, abriram trincheiras e desafiaram o Estado reivindicando a autonomia para o Curdistão turco.

Segundo as autoridades, cerca de 234 militantes do PKK foram mortos no decurso dos violentos combates na cidade. Estes números são contestados pelos ativistas curdos, que se referem a dezenas de civis mortos e danos irreparáveis no património da cidade.

O chefe de estado-maior do exército turco, general Hulusi Akar, deslocou-se hoje a Diyarbakir numa deslocação surpresa destinada a inspecionar o desenrolar das operações. O exército indicou hoje que um soldado turco foi morto em confrontos com membros do PKK.

Após dois anos de cessar-fogo, o conflito curdo reacendeu-se no verão, comprometendo em definitivo as conversações de paz iniciadas no outono de 2012 entre o Governos islamita conservador turco e o PKK.

O conflito provocou mais de 40.000 mortos desde 1984.

Lusa

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38