sicnot

Perfil

Mundo

Onze portugueses detidos no Brasil por associação criminosa e burla

Onze portugueses foram detidos hoje na capital brasileira por associação criminosa e estelionato (crime semelhante à burla) e enfrentam penas até oito anos de prisão, segundo a Polícia Civil do Distrito Federal.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

© Stephen Lam / Reuters

"Esta sexta-feira, a Polícia Civil do Distrito Federal, por intermédio da Coordenação de Repressão aos Crimes contra o Consumidor, a Ordem Tributária e a Fraudes (Corf/Dicon), prendeu onze portugueses que praticavam golpes no Distrito Federal", lê-se num comunicado enviado à agência Lusa.

No documento, a mesma entidade policial acrescentou que "os portugueses presos vão responder pelos crimes de associação criminosa e estelionato e a pena pode chegar até oito anos de reclusão".

A ação policial, denominada "Operação Ilusionista", decorreu em seis endereços da cidade de Águas Claras, próxima da capital do país, Brasília, e ali "também foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão", de acordo com a mesma fonte.

Segundo a polícia, os portugueses "apresentavam-se em carros de luxo e bem vestidos" e "simulavam que estavam a fechar um stand de vendas num centro comercial da cidade e a voltar para a Europa, mas que o imposto seria muito alto para regressar com os produtos".

"Dessa forma, explicavam às vítimas que vendiam as mercadorias a preço de custo. Trata-se de estelionato que ficou conhecido como 'Golpe do Português'", lê-se no comunicado.

As vítimas eram abordadas nas ruas do Distrito Federal e, "para facilitar a venda, os estelionatários tinham várias máquinas de cartão de crédito, que também foram apreendidas", de acordo com a polícia.

Os portugueses ofereciam "canetas de marcas famosas, perfumes importados, jaquetas de couro, faqueiros, camisas de grife, relógios, entre outros itens, todos falsificados" e comprados no estado de São Paulo, sendo que o lucro do grupo ultrapassava os 90 por cento.

Também foram apreendidos oito veículos considerados de luxo e muitos produtos falsificados que estavam dentro dos apartamentos e dos carros.

"Eles permanecerão presos até ao cumprimento da pena e, depois, ficam sob custódia da Polícia Federal até serem expulsos do país", explicou o chefe da Corf, Jeferson Lisboa, citado no documento.

Lusa

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Hotel inovador na Madeira
    2:23

    Economia

    O grupo Pestana está a construir no Funchal, um novo e único hotel, através de uma técnica inovadora que quase não utiliza cimento. Este vai ser o primeiro hotel do mundo construído com um sistema modular desenvolvido em Portugal. O hotel vai ter 77 quartos e vai ficar construído em apenas seis meses. O maior grupo hoteleiro português admite recorrer a este novo sistema em futuros hotéis.

  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.