sicnot

Perfil

Mundo

Perto de 100 fações rebeldes aceitaram cessar-fogo na Síria

​Perto de 100 fações rebeldes aceitaram respeitar o acordo Rússia-EUA de cessar-fogo na Síria, anunciou hoje o Alto Comité das Negociações, que integra os principais grupos da oposição e rebelião, a algumas horas da entrada em vigor da trégua.

O cessar-fogo entre o regime de Assad e os rebeldes deve começar às 22:00 GMT (mesma hora em Lisboa) de hoje.

O cessar-fogo entre o regime de Assad e os rebeldes deve começar às 22:00 GMT (mesma hora em Lisboa) de hoje.

© Rodi Said / Reuters

"As fações do Exército Sírio Livre e da oposição armada estão de acordo em respeitar a trégua que durará duas semanas (...)", indicou aquele comité num comunicado enviado à agência France Presse, falando de "97 fações rebeldes".

O Alto Comité das Negociações precisa que uma comissão militar presidida pelo seu coordenador-geral Riad Hijab foi formada "para o acompanhamento e coordenação" da aplicação da trégua.

Sublinha o seu envolvimento num acordo político "garantindo um processo de transição na Síria, com um organismo de transição dotado do conjunto dos poderes executivo e no qual não há lugar para (o presidente sírio) Bashar al-Assad e a sua clique", adianta o comunicado.

O cessar-fogo entre o regime de Assad e os rebeldes deve começar às 22:00 TMG (mesma hora em Lisboa) de hoje.

Lusa

  • As mulheres na clandestinidade durante o Estado Novo
    7:32

    País

    Não se sabe quantas mulheres portuguesas viveram na clandestinidade durante o Estado Novo, mas estiveram sempre lado a lado com os homens que trabalhavam para o Partido Comunista na luta contra a ditadura. Aceitavam serem separadas dos filhos e mudarem de identidade várias vezes ao longo dos anos. A história de algumas destas mulheres estão agora reunidas num livro que acaba de ser lançado.

  • Captura ilegal de cavalos-marinhos na Ria Formosa
    3:02

    País

    Há cada vez menos cavalos marinhos na Ria Formosa. Cientistas da Universidade do Algarve dizem que a maior população desta espécie no mundo, que é a que existe na Ria Formosa, está ameaçada devido à captura ilegal para o mercado asiático. Dizem que, se nada for feito para travar este fenómeno, esta espécie protegida pode desaparecer em poucos anos.