sicnot

Perfil

Mundo

Perto de 100 fações rebeldes aceitaram cessar-fogo na Síria

​Perto de 100 fações rebeldes aceitaram respeitar o acordo Rússia-EUA de cessar-fogo na Síria, anunciou hoje o Alto Comité das Negociações, que integra os principais grupos da oposição e rebelião, a algumas horas da entrada em vigor da trégua.

O cessar-fogo entre o regime de Assad e os rebeldes deve começar às 22:00 GMT (mesma hora em Lisboa) de hoje.

O cessar-fogo entre o regime de Assad e os rebeldes deve começar às 22:00 GMT (mesma hora em Lisboa) de hoje.

© Rodi Said / Reuters

"As fações do Exército Sírio Livre e da oposição armada estão de acordo em respeitar a trégua que durará duas semanas (...)", indicou aquele comité num comunicado enviado à agência France Presse, falando de "97 fações rebeldes".

O Alto Comité das Negociações precisa que uma comissão militar presidida pelo seu coordenador-geral Riad Hijab foi formada "para o acompanhamento e coordenação" da aplicação da trégua.

Sublinha o seu envolvimento num acordo político "garantindo um processo de transição na Síria, com um organismo de transição dotado do conjunto dos poderes executivo e no qual não há lugar para (o presidente sírio) Bashar al-Assad e a sua clique", adianta o comunicado.

O cessar-fogo entre o regime de Assad e os rebeldes deve começar às 22:00 TMG (mesma hora em Lisboa) de hoje.

Lusa

  • Benefícios fiscais trouxeram a Portugal 10 mil estrangeiros em 2015

    Economia

    Os benefícios fiscais em Portugal atraíram mais de 10 mil estrangeiros no ano passado. A maioria vem com o estatuto de residente não habitual, que dá isenção total de IRS aos reformados por dez anos e 20% de isenção no imposto para profissionais que estiverem ligados a atividades de valor acrescentado como Psicologia, Investigação ou Medicina.

  • Trump e os jornalistas: uma relação (su)rreal
    2:08
  • Novo campo de refugiados construído em Mossul

    Mundo

    Um novo campo de refugiados foi construído em Mossul, no Iraque. Com cerca de 4 mil tendas, foi construído durante 45 dias para albergar os deslocados que se prevê que aumentem com a atual ofensiva militar na zona ocidental da cidade.