sicnot

Perfil

Mundo

Cerca de 15 mil pessoas manifestam-se em Gdanks para apoiar Lech Walesa

Cerca de 15 mil pessoas, segundo números da polícia polaca citados pela agência noticiosa AFP, manifestaram-se hoje em Gdanks, na Polónia, em apoio ao antigo Presidente Lech Walesa, acusado de colaborar com a antiga polícia secreta comunista.

ADAM WARZAWA

Reunidos na praça Solidarnosc (Solidariedade), os manifestantes cantaram o hino nacional e gritaram o nome de Lech Walesa, prémio Nobel da Paz em 1983 e líder histórico do sindicato Solidariedade, que se opôs ao regime comunista na Polónia, acabando por levar ao seu fim.

Lech Walesa, de 72 anos, foi acusado pelo partido conservador Direito e Justiça (PiS) de Jaroslaw Kaczynski, no poder deste outubro, de ter trabalhado na década de 1970 com os serviços secretos comunistas.

Estas acusações - que não são novas - foram retomadas com a recente publicação de documentos encontrados na casa do antigo ministro do Interior comunista, o general Czeslaw Kiszczak, que morreu no ano passado, entre os quais "existe um acordo de colaboração assinado por Lech Walesa", com o nome de código Bolek, segundo o diretor do Instituto da Memória Nacional polaco (IPN), Lukasz Kaminski.

Na altura, o antigo Presidente da Polónica desmentiu a alegação, como já o tinha feito várias vezes no passado.

Reconhecendo que teve contactos com os serviços secretos comunistas, Lech Walesa assegurou que não podem existir documentos escritos por si. "Vou prová-lo na Justiça", disse.

Os manifestantes, incluindo a esposa do antigo Nobel da Paz, Danuta Walesa, reuniram-se em redor de uma bandeira polaca e três cruzes de betão, que apontavam para o céu em memória das vítimas da repressão comunista.

A manifestação foi organizada pelo Comité de Defesa da Democracia (CDD), um movimento cívico de oposição às medidas conservadoras tomadas pelo PiS.

Lusa

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.