sicnot

Perfil

Mundo

Suíços rejeitam iniciativa para expulsão automática de criminosos estrangeiros

A maioria dos suíços rejeitaram hoje em referendo a iniciativa lançada pelo partido populista (SVP, na sigla em alemão) para uma expulsão automática de criminosos estrangeiros, segundo os resultados oficiais.

PETER SCHNEIDER

Perto de 59% dos suíços rejeitaram a nova iniciativa que pretendia endurecer e automatizar o processo de expulsão de estrangeiros que cometam delitos e infrações no território suíço. Votaram favoravelmente 41,8% dos suíços.

O "não" ao endurecimento do processo de expulsão de criminosos estrangeiros ganhou com 58,2% dos votos, num referendo em que a participação superou os 60%, um máximo desde 1992.

Em 2010, os suíços já tinham votado em referendo para uma iniciativa semelhante, sendo a proposta atual mais dura.

Esta iniciativa implicava a expulsão automática de todos estrangeiros, sem distinção, que cometam delitos e infrações no território suíço.

As infrações que levavam à expulsão automática incluíam, entre outros, o assassínio, a violação e fraudes relativas a ajudas sociais.

No domingo da semana passada, mais de 200 personalidades suíças do mundo político e cultural apelaram a uma rejeição do texto proposto pela União Democrática do Centro (UDC, na sigla francesa - SVP, na sigla alemão).

Os cidadãos suíços pronunciaram-se também sobre a construção de um segundo túnel na região do Gottardo, a fiscalidade dos matrimónios heterossexuais e a especulação alimentar.

Os eleitores suíços e os cantões aceitaram a construção de um novo túnel no Gottardo, mas rejeitaram a iniciativa do partido socialista (PS) contra a especulação alimentar e a iniciativa do partido democrático-cristão (PDC-direita, na sigla francesa) para a fiscalidade dos matrimónios heterossexuais.

A Suíça referenda questões políticas e sociais regularmente, chamando os cidadãos a votar quatro vezes por ano, a nível cantonal ou nacional.

Para que as iniciativas sejam aprovadas devem conseguir uma dupla maioria, a dos eleitores a nível nacional e a dos cantões.

As questões a referendar podem ser propostas por qualquer grupo cívico, composto por um mínimo de sete pessoas, ou partido, precisando para isso de recolher pelo menos 100 mil assinaturas.

O povo suíço será chamado novamente às urnas no próximo mês de junho.

Lusa

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.