sicnot

Perfil

Mundo

Estados Unidos utilizam armas informáticas para combater o Daesh

Os Estados Unidos estão a utilizar armas informáticas na guerra contra o autoproclamado Estado Islâmico no Iraque e na Síria, afirmou esta segunda-feira o secretário da Defesa norte-americano, Ashton Carter.

Uma perspetiva aérea sobre o Pentágono. (Arquivo)

Uma perspetiva aérea sobre o Pentágono. (Arquivo)

© Jason Reed / Reuters

"Usamos ferramentas informáticas para enfraquecer a capacidade do grupo para operar e comunicar no campo de batalha virtual", disse Ashton Carter, em conferência de imprensa no Pentágono.

"Isto é fazê-los perder a confiança nas suas redes, sobrecarregando-as para que não possam trabalhar e para que perturbem a capacidade de controlar as suas forças, população e economia", explicou o secretário da Defesa norte-americano.

Os Estados Unidos estão a formar uma força de cerca de 6.000 especialistas em guerra de informação, que são controlados pelo almirante Michael Rogers, chefe da Agência de Segurança Nacional.

Aquele "Comando Cibernético" das Forças Armadas dos Estados Unidos tem 133 unidades de combate com capacidade para defender as redes norte-americanas, como para atacar as inimigas.

O Pentágono tem sido até agora bastante discreto em relação aos seus ciber-combatentes, mas a administração pretende aumentar em 15% o orçamento da defesa para a guerra da informação.

Lusa

  • Admissão de efetivos nas Forças Armadas aquém do pedido pelas chefias
    1:42

    País

    O Ministério das Finanças autorizou a admissão de mais efetivos nas forças armadas, este ano mas a integração fica muito abaixo do número pedido pelas chefias militares. Mário Centeno só terá autorizado a integração de cerca de três mil militares em vez das cinco mil vagas propostas pelas chefias do Exército, Força Aérea e Marinha.

  • China prepara-se para inaugurar comboio mais rápido do mundo
    1:08