sicnot

Perfil

Mundo

Advogado dos ativistas angolanos diz que só testemunhará sob custódia da polícia

O advogado angolano David Mendes, que defende em tribunal quatro dos 17 ativistas que estão a ser julgados em Luanda acusados de prepararem uma rebelião, avisou hoje que só comparecerá em julgamento, como declarante, "sob custódia" da polícia.

Ativistas angolanos, no Tribunal de Benfica, em Luanda.Novembro de 2015.

Ativistas angolanos, no Tribunal de Benfica, em Luanda.Novembro de 2015.

PAULO JULIÃO/LUSA

"Eu sou um legalista e por isso nunca seria eu a contribuir para violar a lei. Se me que querem ouvir em tribunal, a polícia que me leva sob custódia, porque eu não vou voluntariamente, tenho a lei do meu lado. E mesmo que me levem, nada vou dizer", afirmou hoje, em declarações à lusa, David Mendes, que está notificado pelo Tribunal de Luanda a comparecer em julgamento na segunda-feira.

O Ministério Público angolano pediu ao tribunal, a 23 de fevereiro - dia em que se realizou a última sessão dos julgamento dos ativistas, que continua na segunda-feira -, para ouvir aquele advogado "sob custódia", apesar deste defender os réus no mesmo processo.

David Mendes figura numa lista de um alegado governo de salvação nacional indicado para presidente do Tribunal Constitucional, documento que é utilizado pela acusação como prova contra os ativistas, não tendo o advogado comparecido naquela sessão, para a qual estaria arrolado.

"Ainda não sei se vou estar em Luanda nesse dia [07 de março], até porque formamos uma equipa de defesa, tenho outros colegas da associação, mas se comparecer é enquanto advogado para defender os réus e não para declarar contra eles. Caso contrário, têm a minha morada de casa, que me vão buscar lá", acrescentou.

Enquanto membro e dirigente da associação de defesa dos direitos humanos Mãos Livres, David Mendes é um dos advogados que assegura em tribunal a defesa de quatro dos 17 ativistas acusados de atos preparatórios para uma rebelião e um tentado contra o presidente da República.

Há uma semana, o tribunal acabou por não aceitar o pedido do Ministério Público, mas fixou uma multa de 15.000 kwanzas (85 euros) e a obrigatoriedade de David Mendes justificar, em cinco dias, a sua ausência, algo que o advogado garante que não fez nem fará.

Devido à falta de declarantes - em várias sessões e por entre sucessivos adiamentos apenas foram ouvidos pouco mais de 20 dos cerca de 50 elementos deste suposto governo de salvação nacional que estavam arrolados -, o juiz da causa suspendeu a última audiência, para continuar a 07 de março.

Em causa está a lista impulsionada e discutida nas redes sociais, como o próprio já admitiu à Lusa, pelo jurista angolano Albano Pedro, que não está acusado neste processo, sendo composta por pessoas que supostamente, segundo a acusação, iriam substituir o Governo legitimamente eleito.

Dos 17 ativistas em julgamento desde novembro, 14 estão em prisão domiciliária, um foi entretanto condenado sumariamente por injúrias no tribunal a seis meses de prisão e duas jovens aguardam em liberdade.

Lusa

  • Marcelo já sabia da substituição do embaixador de Angola
    4:00

    País

    O Presidente da República sabia há bastante tempo da substituição do embaixador de Angola em Lisboa e já tinha aprovado o nome do futuro representante de Luanda. A revelação foi feita, esta terça-feira, por Marcelo Rebelo de Sousa, numa conversa exclusiva com a SIC no Palácio de Belém. O Presidente contou ainda que não vai enviar recados ao Governo nem aos partidos no discurso de 25 abril que vai fazer na Assembleia da República.

    Exclusivo SIC

  • "O ministro não escondeu nem tapou"
    1:20

    Economia

    Pedro Santana Lopes falou pela primeira vez sobre a auditoria feita à Santa Casa no período em que foi provedor. Esta terça-feira, na SIC Notícias, Santana Lopes desvalorizou as irregularidades e defendeu o ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social, Vieira da Silva.

    Pedro Santana Lopes

  • Constitucional chumba algumas normas da lei de barrigas de aluguer

    País

    O Tribunal Constitucional chumbou algumas normas do acórdão sobre as barrigas de aluguer. De acordo com o Expresso, a decisão já foi comunicada à Assembleia da República. A obrigatoriedade da regulamentação da lei ser feita pelo Parlamento e não pelo Governo terá sido unânime.

  • A história do bebé que continua a lutar pela vida depois de terem desligado as máquinas

    Mundo

    Alfie Evans sofre de uma doença cerebral degenerativa. A sua condição levou o caso à justiça e, depois de uma batalha judicial entre os pais e o hospital, os juízes determinaram que as máquinas do suporte artificial de vida fossem desligadas. Apesar de os aparelhos terem sido desligados na segunda-feira à noite, segundo os pais, a criança de 23 meses continua a lutar pela vida, respirando sozinha.

    SIC

  • O 10 de julho de 1941 na escrita de João Pinto Coelho
    15:09
  • Chegaram os brinquedos de cartão para a consola
    6:24
  • Marinha resgata 138 migrantes ao largo de Lampedusa

    País

    A fragata da Marinha portuguesa D. Francisco de Almeida resgatou esta terça-feira, ao largo da ilha de Lampedusa, em Itália, 138 migrantes, entre eles 15 mulheres e oito bebés, disse à Lusa fonte do Estado-Maior-General das Forças Armadas.

  • O recado de Donald Trump à Coreia do Norte 

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, exortou Pyongyang a eliminar todo o seu arsenal nuclear, precisando o que queria dizer exatamente ao apelar para a "desnuclearização" do regime totalitário, antes de uma aguardada cimeira com o líder norte-coreano.

  • O vestido de noiva de Megan Markle
    1:17