sicnot

Perfil

Mundo

Coreia do Norte anuncia boicote ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

A Coreia do Norte vai deixar de participar no Conselho de Direitos Humanos da ONU, que acusa de "politização", anunciou hoje em Genebra o ministro dos Negócios Estrangeiros norte-coreano, Ri Su Yong.

Ri Su Yong, ministro dos Negócios Estrangeiros norte-coreano.

Ri Su Yong, ministro dos Negócios Estrangeiros norte-coreano.

© Eduardo Munoz / Reuters

"Não vamos participar mais em sessões internacionais sobre a situação de direitos humanos na RPDN [República Popular Democrática da Coreia] para meros ataques políticos", disse o ministro na sessão anual do Conselho, acusando o organismo de ser dominado pela "politização, seletividade e duplicidade de critérios".

O Conselho, que tem por missão aconselhar a Assembleia-Geral da ONU em matéria direitos humanos, tem criticado frequentemente a Coreia do Norte e divulgou em 2014 um relatório em que acusa o regime de um amplo conjunto de crimes contra a humanidade.

Segundo Ri, os Estados Unidos e outros países que desejam "a eliminação da RPDC" usam alegações falsas de violações dos direitos humanos para sustentar o seu ponto de vista e chegam a pagar "5.000 dólares a chamados desertores norte-coreanos" para que "inventem" testemunhos chocantes sobre a situação no país.

"Todas as resoluções que sejam adotadas contra a RPDC em tais sessões não passam de provas de parcialidade. Independentemente de essas resoluções serem votadas, não teremos nada a ver com isso e não estaremos vinculados a ela", disse o ministro.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas, em Nova Iorque, tem previsto votar hoje uma resolução impondo novas sanções ao regime de Pyongyang pelo mais recente ensaio nuclear.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.