sicnot

Perfil

Mundo

Cerca de 2 mil queixas por injúrias ao Presidente examinadas pela justiça turca

Cerca de 2.000 processos judiciais foram acionados na Turquia por insultos contra Recep Tayyip Erdogan desde a sua eleição para a presidência em agosto de 2014, anunciou hoje o ministério da Justiça.

© Christian Hartmann / Reuters

"O número de 'dossiers' que até agora motivou a abertura de procedimentos judiciais por insultos ao Presidente é de 1.845", declarou aos deputados o ministro da Justiça Bekir Bozdag, citado por diversos 'media' locais.

"É vergonhoso. Nem consigo ler o pormenor destes insultos... Estou furioso. Isto nada tem a ver com a liberdade de expressão", acrescentou.

Desde a sua eleição para a chefia do Estado, após ter abandonado o cargo de primeiro-ministro que ocupava desde 2003, Erdogan -- acusado pelos seus críticos de deriva autoritária -- multiplicou os processos em tribunal por "insultos" e dirigidos a artistas, jornalistas, ou simples cidadãos.

A ex-estrela do futebol turco, o "touro do Bósforo" Hakan Sükur, antigo aliado de Erdogan e agora na oposição, será julgado em breve por ter insultado no Twitter o homem forte da Turquia. Arrisca quatro anos de prisão.

Na maioria dos casos as sanções pronunciadas por este delito limitam-se a condenações com pena suspensa, mas em 20 de janeiro uma mulher foi condenada a 11 meses de prisão efetiva por um gesto obsceno dirigido a Erdogan durante uma manifestação em março de 2014.

Lusa

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC