sicnot

Perfil

Mundo

"El Chapo" quer extradição rápida para os EUA porque diz que é maltratado na prisão

O narcotraficante mexicano Joaquin "El Chapo" Guzman pediu à sua defesa para acelerar a sua extradição para os Estados Unidos porque estará a ser maltratado numa prisão de segurança máxima, disse hoje o seu advogado.

© Henry Romero / Reuters

Guzman, que foi recapturado a 08 de janeiro depois de ter fugido de uma cela através de um túnel, fez o pedido num "ato de desespero", indicou o advogado Jose Refugio Rodriguez numa entrevista radiofonia.

Rodriguez disse que o processo de extradição necessitará no mínimo de três meses para se concluir e que os advogados de defesa terão de o discutir com as autoridades norte-americanas.

"Tentem que eu seja extraditado o mais rapidamente possível", terá dito o líder do cartel de Sinaloa na terça-feira a Rodriguez.

Guzman, de 58 anos, têm-se queixado de que os guardas da prisão de Altiplano, a cerca de 90 quilómetros a oeste da Cidade do México, estão sempre a acordá-lo.

"Não deixar alguém dormir é um ato de tortura", disse o advogado. "Vi um homem desesperado, um homem abatido. Estava muito desanimado e em mau estado de saúde", adiantou.

As autoridades mexicanas negam que Guzman esteja a ser maltratado. As medidas de segurança foram intensificadas em Altiplano após a fuga de Guzman em julho, que embaraçou a administração de Enrique Pena Nieto.

Lusa

  • Governo vai avaliar situação da associação Raríssimas
    1:41

    País

    O Governo promete avaliar a situação da instituição Raríssimas e agir em conformidade, depois da denúncia de alegadas irregularidades na gestão financeira. A presidente da instituição terá usado dinheiro da Raríssimas para gastos pessoais como vestidos de alta-costura e alimentação. Esta é uma instituição que apoia doentes e famílias que convivem de perto com doenças raras. 

  • Diáconos permanentes: quem são e que cargo ocupam na comunidade católica
    10:04
  • Múmia quase intacta descoberta em Luxor
    1:23

    Mundo

    O Egito anunciou, este sábado, a descoberta de dois pequenos túmulos com 3.500 anos na cidade de Luxor. Foram também encontrados uma múmia em bom estado de conservação, uma estátua do deus Ámon Ra e centenas de artefactos de madeira e cerâmica ou pinturas intactas.