sicnot

Perfil

Mundo

Google mostra imagens do antes e depois de maremoto de 2011 no Japão

O serviço de cartografia digital Street View do Google publicou hoje novas imagens que mostram toda a costa nordeste do Japão antes e depois do maremoto de março de 2011.

© Ints Kalnins / Reuters

A poucos dias do quinto aniversário da catástrofe, que causou mais de 18 mil mortos e desaparecidos e o pior acidente nuclear desde Chernobil (abril de 1986), a empresa norte-americana de serviços 'online' apresentou novas imagens digitais, a 360 graus, de 82 municípios da região.

As imagens mostram, entre outras localidades, a cidade de Onaga, na prefeitura de Miyagi, onde se está a elevar o solo, a diferentes níveis, como medida contra as ondas gigantes.

Nas fotografias de Namie, poucos quilómetros a sul da acidentada central nuclear de Fukushima Daiichi, é possível ver edifícios danificados e abandonados. A localidade foi completamente evacuada e as autoridades proibiram a entrada na zona depois do acidente nuclear.

"Esperamos que as fotos possibilitem a todos uma comparação entre o passado e presente nas áreas afetadas e uma reflexão sobre a recuperação da região", indicou Wakaba Ohkura da equipa Google Japão à cadeia pública japonesa NHK.

As imagens, obtidas pela Google logo após a catástrofe de 11 de março de 2011 e durante os trabalhos de reconstrução posteriores, fazem parte de um projeto criado no mesmo ano da tragédia para memória futura.

O projeto inicial, denominado "Mirai e no kioku" (recordações para o futuro), foi lançado pela empresa norte-americana em maio de 2011 para levar as pessoas a partilhar e comentar fotografias das áreas afetadas antes e depois do 'tsunami'.

Em julho do mesmo ano, a Google lançou um outro projeto para estabelecer um arquivo digital de imagens das zonas mais afetadas através do serviço Street View.

Lusa

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52