sicnot

Perfil

Mundo

Governo português diz que Espanha vive "situação política muito complexa"

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, afirmou hoje que Espanha vive "uma situação política muito complexa", que não é nova na União Europeia, e assinalou que aquele país está a realizar "o exercício normal da democracia".

MANUEL DE ALMEIDA

Questionado sobre a votação de hoje no Congresso dos Deputados, que o candidato socialista à investidura como presidente do Governo de Espanha, Pedro Sánchez, perdeu, Santos Silva disse que o executivo português "vê esta votação como o exercício soberano, pelas Cortes espanholas, de algo que só às Cortes espanholas compete decidir".

"Aquilo a que estamos a assistir em Espanha é o exercício normal da democracia, numa situação política que é muito complexa, mas na Europa estamos habituados a isso. Todos recordamos governos que demoraram mais de um ano a formar-se, por exemplo na Bélgica. Não é novidade na União Europeia", destacou o chefe da diplomacia portuguesa, afastando qualquer possibilidade de dificuldades entre Bruxelas e os países do sul da Europa.

O governante falava aos jornalistas à saída do debate na especialidade do Orçamento do Estado para 2016, no parlamento.

Pedro Sánchez obteve 120 votos favoráveis, aquém dos 176 deputados necessários para escolher o nome do secretário-geral do PSOE para novo presidente do Governo espanhol. No total, teve 219 votos contra.

Sánchez contou apenas com os 90 votos do grupo parlamentar socialista e os 30 do grupo do Ciudadanos (centro-direita), com o qual assinou um acordo de investidura na semana passada. Registou-se ainda uma abstenção.

O candidato socialista submete-se na sexta-feira a uma segunda votação (que apenas requer maioria simples, ou mais votos "Sim" que "Não" para passar).

No entanto, as indicações dos vários grupos ao longo das sessões de investidura deixam antever que terá as mesmas dificuldades para ser aprovado.

Lusa

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57
  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31