sicnot

Perfil

Mundo

Itália avisa que risco de atentados na Europa ainda é elevado

Os serviços secretos italianos alertam que o risco da Europa sofrer novos atentados perpetrados por "jihadistas" ainda é elevado, segundo um relatório entregue regularmente no parlamento italiano e hoje divulgado pelos "media" locais.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Charles Platiau / Reuters

"Mantém-se elevado o perigo de novas ações no território europeu perpetradas por emissários, enviados, combatentes externos ou por militantes já presentes na Europa que recebem ordens e motivação de outras pessoas no estrangeiro", indicou o relatório, de acordo com a comunicação social italiana.

No documento assinala-se o potencial crescimento do espaço de manobra destes operacionais.

"Cresce a possibilidade de encontrarem espaço para novos ataques como os de Paris [13 de novembro de 2015], mas também as formas de coordenação horizontal entre micro células ou ações individuais pouco planeadas e, portanto, imprevisíveis", referiu o texto.

Os serviços secretos italianos advertiram de que Itália e o Vaticano "estão cada vez mais expostos" por serem um potencial "objetivo político, simbólico e religioso", recordando ainda as celebrações do Ano Santo da Misericórdia, assinalado no ano corrente.

No relatório, os serviços secretos aconselharam, entre outros aspetos, "uma avaliação cuidadosa da divulgação da ideologia 'jihadista' em circuitos radicais na Internet em Itália", porque grande parte dos utilizadores do espaço virtual são "muitos jovens e podem ser facilmente influenciados por opiniões ou por figuras carismáticas".

Também alertaram para a presença perigosa da rede terrorista Al-Qaida no mundo virtual, uma vez que pode intervir "como oposição" ao grupo extremista Estado Islâmico (EI).

Destacaram igualmente o peso cada vez maior das mulheres europeias no movimento 'jihadista', mencionando os casos de mulheres que se juntaram às fileiras 'jihadistas' e casaram com operacionais, bem como os casos de mulheres que são mães de combatentes.

No texto foca-se ainda que várias mulheres são responsáveis pelo recrutamento de novos elementos, especialmente através da Internet, e por vários aspetos logísticos, como o envio de dinheiro.

Para os serviços secretos italianos, o regresso dos combatentes 'jihadistas' estrangeiros aos respetivos países de origem é um assunto que requer uma "vigilância máxima".

Sobre o risco de que terroristas entrem no território europeu através da vaga migratória oriunda do norte de África, os serviços secretos italianos afirmaram que "não encontraram provas específicas" dessa possibilidade, admitindo, porém, "a vulnerabilidade da rota dos Balcãs para potenciais entradas".

Lusa

  • "Fiz coisas de que me envergonho"
    2:31
  • Portugal é o segundo país da Europa com mais emigrantes
    1:39

    País

    São 2,3 milhões os portugueses que vivem no estrangeiro, ou seja, 22% da população. O último relatório do Observatório da Emigração relativo a 2015 mostra que se manteve o mesmo número de saídas de Portugal para o estrangeiro registadas no pico atingido em 2013: acima das 110 mil por ano. O Reino Unido é o principal país de destino.

  • Descoberta produção de canábis em abrigo nuclear 

    Mundo

    A polícia britânica descobriu, no sul de Inglaterra, um antigo abrigo nuclear subterrâneo adaptado à produção de canábis em grande escala. A operação levou à detenção de cinco homens e um adolescente de 15 anos. Foram também apreendidas milhares de plantas de canábis.

  • Carnaval na Almirante Reis
    2:39

    País

    Lisboa também celebra o Carnaval e esta manhã mais de três mil crianças participaram num desfile pela Avenida Almirante Reis, alunas de escolas públicas e privadas de 24 nacionalidades. Na freguesia de Arroios vivem estrangeiros de 79 nacionalidades.