sicnot

Perfil

Mundo

Manuel Vicente nega contratação de Orlando Figueira para setor privado

O vice-presidente de Angola, Manuel Vicente, disse hoje ser "completamente alheio à contratação" do procurador Orlando Figueira, para o setor privado, assim como a "qualquer pagamento" de que alegadamente aquele magistrado beneficiou.

O vice-presidente angolano Manuel Vicente

O vice-presidente angolano Manuel Vicente

© Carlo Allegri / Reuters

"Sou completamente alheio, nomeadamente, à contratação de um magistrado do Ministério Público português para funções no sector privado, bem como a qualquer pagamento de que se diz ter beneficiado, conforme relatos da comunicação social, alegadamente por uma sociedade com a qual eu não tinha nenhuma espécie de relação, e que não era nem nunca foi subsidiária da Sonangol", diz Manuel Domingos Vicente, em comunicado enviado à agência Lusa.

O atual vice-presidente de Angola reagia às notícias sobre o seu suposto envolvimentos em factos relacionados com a investigação da "operação Fizz", conduzida pelas autoridades judiciárias portugueses, e que levou à detenção e prisão preventiva de Orlando Figueira, antigo procurador do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

Na mesma nota enviada à Lusa, Manuel Vicente, antigo presidente da Sonangol, salienta que o seu envolvimento na investigação portuguesa "não tem, pois, qualquer fundamento", porém manifesta-se "totalmente disponível para o esclarecimento dos factos (...), de modo a por termo a qualquer tipo de suspeições".

Manuel Vicente diz que as notícias divulgadas pela comunicação social sobre o seu alegado envolvimento na "operação Fizz" não correspondem à verdade e "atentam gravemente" contra o seu bom nome, honra, imagem e reputação.

Quanto ao processo arquivado por Orlando Figueira, no início de 2012, no comunicado, o vice-presidente angolano refere que, ao que sabe, foi uma "simples averiguação de origem de fundos, relativos à compra de um imóvel".

"Confiei a minha representação a um advogado, o qual apresentou comprovação cabal da origem lícita dos fundos, com o que o processo não poderia deixar de ter sido arquivado --- comprovação essa que, se necessário, poderá ser renovada", acrescenta.

Entretanto, na terça-feira, o Conselho Superior do Ministério Público (CSMP) decidiu instaurar um inquérito para apurar se há factos que determinem a abertura de um processo disciplinar a Orlando Figueira, por proposta da procuradora-geral da República, Joana marques Vidal.

Orlando Figueira, com licença sem vencimento desde setembro de 2012, está indiciado por corrupção na forma agravada, branqueamento de capitais e falsidade informática, encontrando-se em prisão preventiva, no estabelecimento prisional de Évora.

No mesmo processo, foram ainda constituídos arguidos, o advogado Paulo Blanco, por suspeitas de corrupção ativa, e uma entidade coletiva, que oficialmente ainda se desconhece qual é.

Entretanto, fonte ligada ao processo disse, na semana passada, que Manuel Vicente, defendido por Paulo Blanco no processo sobre a compra de um apartamento no complexo Estoril-Sol, está indiciado por corrupção ativa em co-autoria no mesmo caso.

O procurador Orlando Figueira foi responsável, entre outros, pelos processos "BES Angola" e pelo "Caso Banif", relacionado com capitais angolanos, tendo arquivado este último.

Lusa

  • Japão ganha nova esperança ao derrotar a Colômbia (2-1)

    Mundial 2018 / Colômbia

    No primeiro jogo do grupo H, a Colômbia foi derrotada pelo Japão. Um dos momentos altos do jogo aconteceu logo ao minuto 4 quando, na sequência de uma falta de Carlos Sanchez, o árbitro assinalou um penálti a favor da equipa japonesa. O colombiano levou um cartão vermelho, depois de ter intercetado um remate do Japão com a mão. Apesar da desvantagem numérica, a Colômbia iguala o marcador aos 39 minutos com um livre de Quintero. Contudo, Yuya Osako colocou o Japão novamente em vantagem aos 73 min.

  • Hospitais públicos à beira da rutura
    2:28
  • Baleia morta ao largo da Fonte da Telha, autoridades lançam alerta à navegação
    2:19

    País

    As autoridades maritimas lançaram um alerta à navegação ao largo da praia da Fonte da Telha, na Costa da Caparica, devido à presença de uma baleia morta. O animal de 15 metros está na zona da praia da Fonte da Telha e ao início da tarde estava a ser acompanhada por uma lancha da Marinha, como relatou o repórter da SIC, André Palma.

  • Repitam comigo: Portugal vai ser campeão do Mundo
    4:56
  • OMS inclui dependência dos videojogos na lista de doenças mentais

    Mundo

    A Organização Mundial de Saúde (OMS) incluiu a dependência de videojogos na lista de doenças mentais, uma possibilidade que tinha sido prevista no início do ano e que foi anunciada esta segunda-feira. Este pode ser mais um argumento para os pais limitarem o tempo de acesso dos filhos às consolas, computadores e todos os dispositivos com videojogos.

  • "Estou a ser posta porta fora (...) faço o que vocês me disserem"
    2:43
  • EUA sonham com "exploração e descoberta" do espaço
    0:39

    Mundo

    Donald Trump confirmou a intenção de criar um sexto ramo das Forças Armadas. Trata-se de uma força espacial independente da Força Aérea e especializada no domínio do espaço sideral. O presidente norte-americano deu ordens ao Pentágono para preparar o domínio do cosmos o mais rápido possível. O anúncio foi feito na Casa Branca, mas só poderá avançar depois da aprovação do Congresso dos EUA.

  • Rapper XXXTentacion morto em aparente tentativa de roubo

    Cultura

    O rapper norte-americano XXXTentacion, de 20 anos, morreu na noite de segunda-feira depois de ter sido baleado, na Florida, no sudeste dos Estados Unidos. Um dos suspeitos terá disparado e atingido o rapper e, de seguida, dois suspeitos fugiram numa viatura escura. A polícia está a considerar tentativa de roubo.