sicnot

Perfil

Mundo

ONU impõe sanções mais pesadas à Coreia do Norte

A Coreia do Norte vai ser alvo de sanções internacionais mais duras após os últimos ensaios nucleares, a 6 de janeiro.

Pyongyang anunciou há quase uma semana a colocação de um satélite em órbitra através do lançamento de um míssil de longo alcance.

Pyongyang anunciou há quase uma semana a colocação de um satélite em órbitra através do lançamento de um míssil de longo alcance.

© KYODO Kyodo / Reuters

A resolução do Conselho de Segurança da ONU foi tomada por unanimidade, incluindo a China, única aliada de Pyongyang.

Com as novas sanções, todas as mercadorias recebidas ou enviadas para a Coreia do Norte são inspecionadas. Foram também colocadas na lista negra da ONU 12 entidades norte-coreanas e 16 representantes do comércio da Coreia do Norte na Síria, Irão e Vietname.

ara o presidente norte-americano, Barack Obama, o pacote de sanções é "uma resposta firme, unida e apropriada da comunidade internacional" ao ensaio nuclear de 06 de janeiro e ao lançamento de um míssil de 07 de fevereiro.

"A comunidade internacional, falando a uma voz, envia a Pyongyang uma mensagem simples: a Coreia do Norte tem de abandonar estes programas perigosos e escolher um caminho melhor para o seu povo", afirmou Obama numa declaração divulgada à imprensa.

A resolução impõe a todos os países a medida sem precedente de inspecionar todas as mercadorias com origem ou destinadas à Coreia do Norte e a proibição de entrada nos portos a navios e de voos de aviões suspeitos de transportar bens ilegais para aquele país.

O pacote inclui também a proibição das exportações norte-coreanas de carvão, ferro e minério de ferro, ouro, titânio e minerais raros, assim como a importação de combustível de aviação, incluindo combustível para mísseis.

"Trata-se de algumas das sanções mais duras adotadas contra qualquer país do mundo, certamente as mais duras contra a RPDC [República Popular Democrática da Coreia]", afirmou o embaixador do Reino Unido, Matthew Rycroft.

"Isto marca uma viragem significativa do Conselho de Segurança no seu conjunto", acrescentou.

As sanções preveem ainda a expulsão pelos países membros da ONU de diplomatas norte-coreanos que estejam envolvidos em contrabando ou outras atividades ilegais e acrescenta 16 indivíduos e 12 entidades à lista "negra" das sanções, incluindo a agência espacial e os serviços de informações norte-coreanos.

Anteriores sanções contra a elite do regime foram também alargadas, com a proibição de exportação para a Coreia do Norte de relógios de luxo, motos de neve, embarcações de recreio e equipamentos desportivos.

A resolução 2270, hoje aprovada, foi negociada ao longo de sete semanas pelos Estados Unidos e a China, mas o seu impacto vai depender da rigorosa aplicação das medidas, nomeadamente por Pequim.

O pacote de sanções é o quinto da ONU contra a Coreia do Norte desde o primeiro ensaio nuclear, em 2006.

  • Marcelo saúda "forma rápida" como Conselho de Ministros "tratou de tudo"
    1:03

    País

    O Presidente da República lembra que é preciso convergência de forma a adotar rapidamente as medidas mais urgentes do plano de emergência. No concelho de Tábua, Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda os esforços do Conselho de Ministros, mas lembrou que as medidas anunciadas são apenas o início de um processo e não o fim.