sicnot

Perfil

Mundo

População de Xangai desce pela primeira vez num século

A população do município chinês de Xangai, uma das metrópoles mais populosas do mundo, desceu em 2015, pela primeira vez num século, para 24,15 milhões de habitantes, segundo dados do governo local.

© China Stringer Network / Reut

A queda, de 0,4%, ou 104.100 residentes, face ao ano anterior, tem como base apenas as pessoas que viveram na cidade pelo menos seis meses no espaço de um ano.

Entre 1982 e 2014, o número de residentes naquela que é considerada a capital económica da China, e importante fonte de emprego na costa leste do país, aumentou de 11,8 milhões para 24,25 milhões.

A diminuição deve-se ao alto custo de vida e à restruturação da economia local, que nos últimos anos levou à extinção de postos de trabalho no setor secundário, segundo o jornal oficial China Daily.

Nos últimos dez anos, a economia de Xangai passou a basear-se sobretudo no setor dos serviços e na tecnologia, levando a uma redução do emprego nas fábricas e na construção civil.

Como resultado, o número de trabalhadores migrantes recuou 1,5%, para 9,82 milhões no ano passado (40,6% da população total).

O município tem também deslocado muitos habitantes do centro para novos complexos residenciais nos subúrbios, outrora ocupados por complexos industriais ou campos agrícolas.

O objetivo é fixar a população em 25 milhões de habitantes, até 2020, e reduzir a alta densidade populacional no centro da cidade, segundo um demógrafo da Academia de Ciências Sociais local, Zhou Haiwang, citado pelo jornal China Daily.

Já o número de habitantes com autorização de residência (Hukou, em chinês), os únicos com acesso a serviços como a educação e saúde pública, aumentou em 43.600, para 14,33 milhões de pessoas.

Em Xangai, uma das cidades mais cosmopolitas da China, vivem cerca de 300 portugueses, mais do dobro dos que viveme m Pequim, segundo dados da embaixada de Portugal.

Lusa

  • População aconselhada a ficar em casa devido à poluição na China
    1:20

    Mundo

    Pela segunda vez em apenas duas semanas, a China lança um alerta vermelho por causa da poluição na capital. A população foi aconselhada a ficar em casa, pelo menos até à próxima terça-feira. Em Xangai, a poluição atingiu esta semana os níveis mais altos desde o início do ano e levou também as autoridades chinesas a impor uma série de restrições.

  • Oceanário de Lisboa dá formação sobre impacto da acumulação de plásticos nos oceanos
    2:37