sicnot

Perfil

Mundo

Quase 2 milhões de pessoas em risco de insegurança alimentar severa em Moçambique

O primeiro-ministro moçambicano disse hoje em Maputo que mais de 1,7 milhões de pessoas estarão em situação de insegurança alimentar severa no país, caso prevaleça a escassez de chuva, admitindo lançar um apelo internacional.

© Mike Hutchings / Reuters

"No caso da prevalência da escassez de chuva até ao final da presente época chuvosa, em que não se venha a registar nenhuma colheita, prevê-se um cenário de insegurança alimentar severa, afetando 1.785.132 pessoas", afirmou Carlos Agostinho do Rosário no parlamento.

Tendo em conta a gravidade da seca, adiantou, o Conselho Técnico de Gestão de Calamidades (CTGC) atualizará até ao dia 11 deste mês os impactos da seca na segurança alimentar, visando avaliar a necessidade de um apelo internacional para a mobilização de recursos necessários para a assistência das vítimas de fome.

As províncias de Inhambane, no sul do país, com mais de 540 mil afetados, e Tete, centro, com mais de 530 mil, serão as mais atingidas pela insegurança alimentar severa, seguidas de Gaza (419 mil), Sofala (144 mil), Maputo (133 mil) e Zambézia (17 mil), indicou Rosário.

"Em caso de ocorrência de um cenário de insegurança alimentar severo, em que o número previsto de pessoas atinja 1.785.132 pessoas, o Governo, sob proposta do CTGC, onde os nossos parceiros internacionais têm assento, avaliará e decidirá sobre o tipo de intervenção ou alerta a adotar", declarou o primeiro-ministro.

Num cenário de "alguma chuva", prosseguiu Agostinho do Rosário, 396.855 estarão numa situação de insegurança alimentar moderada, cifra superior à previsão de 165.618 pessoas contida no Plano de Contingência contra as calamidades naturais.

"Uma situação de existência de alguma chuva até ao final do mês de março corrente, que venha permitir alguma colheita, remete-nos a um cenário de insegurança alimentar moderado. Neste cenário, o total de pessoas afetadas é de 396.855 pessoas", afirmou hoje o primeiro-ministro moçambicano.

Em relação às cheias que atingem o norte do país, prosseguiu Agostinho do Rosário, o Governo previa que mais de 194 mil pessoas fossem afetadas, tendo sido alocados 580 milhões de meticais (pouco mais de 11 milhões de euros), para ações de monitorização, assistência humanitária, busca e salvamento e pré-posicionamento de meios.

Lusa

  • " A melhoria das contas públicas não foi feita à custa dos portugueses"
    1:30

    País

    Numa espécie de balaço deste ano e meio de governação, o primeiro-ministro voltou a assinalar voltou a assinalar a redução do défice e as melhorias nas contas públicas. Num jantar com militantes em Coimbra, António Costa garantiu ainda que a "verdadeira reforça do Estado avança até ao final desta legislatura, que é a Descentralização.

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • Norte também quer naturismo e praias de nudistas

    País

    O presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal defendeu hoje a criação de praias naturistas legalizadas na região, fazendo a apologia da formação de associações e negando que este seja um destino conservador.