sicnot

Perfil

Mundo

Coligação no poder na Irlanda vence sem maioria

A coligação no poder na Irlanda, composta pelo Fine Gael (centro direita) e pelo Labour (partido trabalhista), venceu as eleições legislativas, mas não conseguiu manter a maioria no parlamento, segundo os resultados finais divulgados hoje.

© Clodagh Kilcoyne / Reuters

O Fine Gael do primeiro-ministro, Enda Kenny, obteve 50 dos 158 assentos no Parlamento, contra 76 na eleição anterior, em 2011. O Partido Trabalhista, o outro partido da coligação no governo conseguiu apenas sete, depois de na última eleição ter obtido 37.

O segundo partido com mais assentos no parlamento irlandês foi o Fianna Fail (centro-direita), com 44, enquanto o partido anti austeridade Sinn Fein (esquerda nacionalista) contabilizou 23.

As legislativas de 26 de fevereiro foram as primeiras eleições gerais na Irlanda desde o fim do programa de ajustamento associado ao resgate de 85 mil milhões de euros, em 2013.

O país, de 4,6 milhões habitantes, registou a maior taxa de crescimento económico na União Europeia nos primeiros nove meses do ano passado: 7%.

Lusa

  • Encontrado corpo da criança que desapareceu na praia de São Torpes
    0:55

    País

    O corpo da criança que tinha desaparecido na praia São Torpes, concelho de Sines, foi encontrado esta manhã fora de água, nas rochas, a 1,5 quilómetros do sítio onde tinha desaparecido, no passado dia 21. O alerta foi dado por um popular à Polícia Marítima, cerca das 8h00.

  • Não há aumentos salariais no Estado para o ano
    1:18

    Economia

    O ministro das Finanças confirma a alteração dos escalões de IRS em 2018. É uma das medidas prioritárias para o próximo ano, a par do descongelamento das carreiras na função pública. Numa entrevista à Antena 1, Mário Centeno admite que não vai haver aumentos salariais no Estado no próximo ano

  • Obrigada a vir dos EUA, de 3 em 3 semanas, para ver o filho
    2:00
  • Marcelo diz que Europa não deve contar com benevolência dos aliados 
    1:19

    País

    O Presidente da República concorda com Angela Merkel, que este domingo defendeu que a Europa já não pode confiar a 100% nos países aliados. Numa conferência sobre o futuro da Europa, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que a União Europeia tem de assumir responsabilidades e protagonismo e não pode contar com a iniciativa e a benevolência dos aliados.

  • Merkel sugere que a Europa já não pode contar com aliados como os EUA
    1:45

    Mundo

    Depois das cimeiras do G7 e da NATO,e sem nunca mencionar Donald Trump, a chanceler alemã diz que é tempo de cada país tomar conta do próprio destino. As declarações de Angela Merkel foram feitas em Munique numa ação de campanha da CDU e evidenciam incómodo em relação às posições manifestadas pelos EUA.