sicnot

Perfil

Mundo

Coligação no poder na Irlanda vence sem maioria

A coligação no poder na Irlanda, composta pelo Fine Gael (centro direita) e pelo Labour (partido trabalhista), venceu as eleições legislativas, mas não conseguiu manter a maioria no parlamento, segundo os resultados finais divulgados hoje.

© Clodagh Kilcoyne / Reuters

O Fine Gael do primeiro-ministro, Enda Kenny, obteve 50 dos 158 assentos no Parlamento, contra 76 na eleição anterior, em 2011. O Partido Trabalhista, o outro partido da coligação no governo conseguiu apenas sete, depois de na última eleição ter obtido 37.

O segundo partido com mais assentos no parlamento irlandês foi o Fianna Fail (centro-direita), com 44, enquanto o partido anti austeridade Sinn Fein (esquerda nacionalista) contabilizou 23.

As legislativas de 26 de fevereiro foram as primeiras eleições gerais na Irlanda desde o fim do programa de ajustamento associado ao resgate de 85 mil milhões de euros, em 2013.

O país, de 4,6 milhões habitantes, registou a maior taxa de crescimento económico na União Europeia nos primeiros nove meses do ano passado: 7%.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.