sicnot

Perfil

Mundo

Editora de jornal chinês despedida após alegada crítica ao Presidente

Uma editora de um dos jornais mais prestigiados da China, o Southern Metropolis Daily, foi despedida devido a uma primeira página em que alegadamente critica a censura promovida pelo Presidente chinês à imprensa do país.

© Damir Sagolj / Reuters

Segundo o jornal de Hong Kong South China Morning Post (SCMP), Liu Yuxia e o seu superior, o editor-chefe Wang Haijun, foram "punidos severamente", na sequência da edição daquele jornal de 20 de fevereiro.

Na primeira página da publicação, Liu cita uma frase do Presidente chinês, Xi Jinping, durante a sua visita à sede da televisão estatal CCTV, em que apela à lealdade dos meios de comunicação oficiais para com o Partido Comunista da China.

Em baixo, uma outra notícia dava conta do funeral de um histórico líder do regime chinês.

As duas informações não teriam aparente relação entre si, mas ambos os títulos combinados formavam a frase: "Os meios oficiais do Partido lançaram as suas almas ao mar".

A composição terá sido vista como uma crítica velada ao controlo que o Presidente chinês exerce sob os órgãos de comunicação social, destaca o SCMP.

O afastamento de Liu, que nos últimos três anos foi responsável pela elaboração das primeiras páginas do jornal, foi lamentado pelos seus companheiros de redação, que a descreveram como "um dos melhores editores do diário".

Citado pelo SCMP, o analista Zhang Lifan assinalou que o despedimento recorda as "campanhas contra os 'slogans' contrarrevolucionários", durante a Revolução Cultural (1966-76).

Zhang afirmou que a crescente pressão exercida por Pequim sobre os jornalistas está a forçar muitos profissionais a abandonar a carreira.

Lusa