sicnot

Perfil

Mundo

Londres doa 20 ME para fundo de apoio a migrantes de Calais

A ajuda financeira britânica a França, no âmbito da crise de migrantes em Calais, "será aumentada em 20 milhões [de euros] suplementares", declarou hoje o secretário de Estado francês para os assuntos europeus, Harlem Désir.

Calais, França (Arquivo)

Calais, França (Arquivo)

© Pascal Rossignol / Reuters

A contribuição britânica para a gestão da crise é atualmente "de mais de 60 milhões (...). Haverá 20 milhões [de euros] suplementares", anunciou Désir à rádio RFI.

Esta assistência é destinada a ajudar a "manter a segurança na zona de acesso ao túnel e na zona do porto de Calais", bem como à "luta contra as redes de tráfico" de pessoas e para o financiamento de centros de acolhimento de migrantes em França.

Este anúncio surgiu horas antes de um encontro entre o Presidente francês François Hollande e o primeiro-ministro britânico David Cameron na cidade de Amiens, onde a crise de Calais estará no topo da agenda.

Lusa

  • Rui Vitória não espera facilidades frente ao Tondela
    1:34

    Desporto

    O líder do campeonato, o Benfica, recebe este domingo o último classificado, o Tondela. Na conferência de antevisão do encontro, Rui Vitória afirmou que não espera facilidades. O treinador do Benfica falou ainda de Sebastian Coates.

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.