sicnot

Perfil

Mundo

México não pagará muro de Trump "em nenhuma circunstância"

O Governo mexicano jamais utilizará, "em nenhuma circunstância", recursos públicos com origem em impostos para pagar o muro que o aspirante a candidato presidencial norte-americano Donald Trump prometeu construir na fronteira e fazer o México pagar.

Ministro das Finanças mexicano, Luis Videgaray.

Ministro das Finanças mexicano, Luis Videgaray.

© Edgard Garrido / Reuters

"Digo-o enfaticamente: não existe um cenário em que o México pagaria por esse muro", afirmou o ministro das Finanças mexicano, Luis Videgaray, em entrevista à Milenio Televisión.

O ministro acrescentou que tal vedação "é uma péssima ideia, é uma ideia absurda que se baseia na ignorância e que não tem sustentação na realidade da integração da América do Norte".

Videgaray referiu que há mais de cinco anos que a migração entre o México e os Estados Unidos tem um saldo negativo para o país do norte.

"Há mais norte-americanos que vêm para o México que mexicanos que vão para os Estados Unidos", garantiu.

"Todos os dias cruzam [as fronteiras do] México e dos Estados Unidos, de forma legal, mais de um milhão de pessoas, mais de 350 mil veículos. Fazemos comércio no valor de mais de um milhão de dólares a cada minuto", destacou.

Videgaray sublinhou que "o México é um aliado fundamental para os Estados Unidos e os Estados Unidos são um aliado fundamental para a competitividade da economia mexicana".

"O que precisamos é que ambas as nações invistam em melhores infraestruturas fronteiriças, em melhores pontes, em mais instalações aduaneiras, em ampliar as vias. Tal como estamos a fazer: este ano, inaugurámos três novos postos fronteiriços, incluindo o primeiro posto fronteiriço ferroviário em mais de cem anos, e isso é o que temos de continuar a fazer", frisou.

Sobre a possibilidade de Trump chegar à Casa Branca, o responsável pelas finanças públicas do México afirmou que "seja qual for o Presidente dos Estados Unidos, por decisão do povo norte-americano, vai encontrar sempre no Governo do México uma atitude construtiva, de diálogo".

No entanto, encontrará também um interlocutor que zela pelos interesses dos mexicanos, disse.

Donald Trump, que lidera as primárias entre os candidatos republicanos, disse que, se eleito, deportaria os 11 milhões de indocumentados que vivem nos Estados Unidos, que considerou serem criminosos e narcotraficantes vindos do México.

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.