sicnot

Perfil

Mundo

Descoberto ritual enigmático de chimpanzés ainda por explicar

As imagens de chimpanzés da Guiné-Bissau a atirar e a acumular pedras em árvores estão incluídas num trabalho científico que admite ter descoberto um ritual ainda por explicar, disse hoje à Lusa fonte ligada ao trabalho.

© STRINGER Brazil / Reuters

"Isto representa o primeiro registo de observações repetidas de chimpanzés que usam pedras para outros fins" além da alimentação, refere o estudo assinado por Hjalmar S. Kühl, Ammie K. Kalan e dezenas de outros investigadores - grande parte ligada ao instituto Max Planck, na Alemanha.

O trabalho baseia-se em imagens recolhidas em quatro locais da África Ocidental, entre os quais a região do Boé, leste da Guiné-Bissau, onde o projeto Chimbo, liderado por holandeses, colocou câmaras de vigilância há cinco anos.

"A incorporação de ferramentas de pedra para rituais dos chimpanzés é uma descoberta e, de acordo com os nossos dados, pode ser uma tradição cultural socialmente aprendida em populações limitadas de chimpanzés da África Ocidental", acrescenta.

A razão de ser do ritual permanece um mistério: os investigadores concluem que é necessário continuar com as pesquisas para compreender para que serve aquela praxe dos chimpanzés - um animal em vias de extinção.

O trabalho foi publicado no site "Scientific Reports" do grupo editorial Nature a 29 de fevereiro e destaca a importância do assunto pela implicações que pode ter na compreensão da história da humanidade.

"A exibição de um comportamento ritualizado" de um primata próximo do homem, de atirar pedras e acumulá-las "em locais particulares, pode ter implicações nos estudos sobre as origens de locais de culto" de seres humanos, refere o estudo.

De acordo com a associação Chimbo, que intervém em parceria com o Instituto da Biodiversidade e Áreas Protegidas (IBAP) da Guiné-Bissau, existem cerca de 700 chimpanzés no Boé.

Lusa

  • "Foi o momento mais difícil da minha vida", disse a ministra emocionada
    3:24
  • A fábrica de caças na base aérea de Monte Real
    3:35

    País

    A Força Aérea portuguesa é a única força militar, para além da norte-americana, que pode mexer em praticamente todo o motor de um caça F-16. Na base aérea de Monte Real há uma fábrica de caças que pode levar o país a comprar mais aviões às peças, para revender a outras forças militares.

  • Comprar ou arrendar casa?
    8:25
  • Fui contactado por um espectador do “Contas-Poupança” (quartas-feiras, Jornal da Noite, SIC) e leitor do blogue www.contaspoupanca.pt, que foi surpreendido com uma carta do banco a aumentar o spread porque um dos serviços que tinha subscrito tinha sido extinguido. Neste caso específico, a domiciliação de ordenado. Ora, o cliente ficou estupefacto porque não mudou de empresa, não foi despedido nem tinha havido nenhuma alteração no recebimento do ordenado naquela conta.

    Pedro Andersson

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44

    Mundo

    A Ucrânia está a ser seriamente afetada por um novo ataque informático. Algumas empresas de grande dimensão estão a ser prejudicadas, agravando a dimensão global do ataque, o qual não parece ser dirigido a ninguém em concreto. Ontem, nas primeiras horas do ataque, não parava de crescer o número de vítimas.

  • Temer acusado de prejudicar Polícia Federal
    2:36
  • Trump interrompe telefonema para elogiar jornalista

    Mundo

    A jornalista irlandesa Caitriona Perry viu-se esta terça-feira envolvida num momento que a própria classificou de "bizarro": um encontro inesperado com Donald Trump, que interrompeu um telefonema com o primeiro-ministro irlandês para... a elogiar.

    SIC

  • Caricaturas de Trump invadem capital do Irão

    Mundo

    O Irão está a organizar um concurso internacional de caricaturas do Presidente norte-americano Donald Trump. Pelas ruas de Teerão já vão surgindo algumas imagens alusivas ao festival que vai realizar-se no próximo mês de julho.