sicnot

Perfil

Mundo

Presidente brasileira convoca reunião de emergência após detenção de Lula da Silva

A Presidente brasileira, Dilma Rousseff, reuniu-se hoje, em Brasília, com vários ministros da área política, no seguimento da detenção para depoimento do ex-Presidente Lula da Silva, no âmbito da Operação Lava Jato.

© Ueslei Marcelino / Reuters

A chefe de Estado brasileira reuniu-se, ao início da manhã, no Palácio do Planalto, com os ministros da Casa Civil, Jaques Wagner, da Secretaria de Governo da Presidência, Ricardo Berzoini, da Justiça, Wellington César, da Advocacia-Geral da União, José Eduardo Cardozo, e da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva.

O encontro com os ministros não constava da agenda oficial da Presidente e o Palácio do Planalto não divulgou o motivo da reunião, escreve a Agência Brasil, segundo a qual a reunião já terminou.

De acordo com a imprensa local, o encontro aconteceu na sequência da 24.ª fase da Operação Lava Jato, realizada esta manhã pela Polícia Federal e que está ligada ao caso de alegada corrupção na Petrobras.

Durante a manhã, o ex-Presidente Lula da Silva foi levado para depor nas instalações policiais do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, e a polícia realizou buscas ao seu apartamento, ao do seu filho Fabio Luiz Lula da Silva e à sede do Instituto Lula.

O ex-Presidente foi convocado pela Polícia Federal para explicar o recebimento de favores indevidos e o montante de 7,2 milhões de euros (30 milhões de reais), destinados às empresas dele por construtoras investigadas na operação Lava Jato.

A assessoria da Presidência da República ainda não se pronunciou oficialmente sobre o caso.

Também na quinta-feira, a líder brasileira convocou uma reunião extra com os ministros José Eduardo Cardozo e Jaques Wagner, depois da divulgação da notícia de que o senador Delcídio do Amaral teria feito um acordo de depoimento em troca de redução da pena com o Ministério Público, em que comprometia Dilma Rousseff e Lula da Silva.

Lusa

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.