sicnot

Perfil

Mundo

Trinta mortos e 36 feridos em colisão de autocarros no Zimbabué

Um choque entre dois autocarros de passageiros na principal estrada que liga Harare a Bulawayo (sudoeste do Zimbabué) provocou a morte a pelo menos 30 pessoas e ferimentos noutras 36, indicou hoje a polícia zimbabueana.

Os acidentes rodoviários são comuns no Zimbabué, em especial devido à falta de manutenção das estradas.

Os acidentes rodoviários são comuns no Zimbabué, em especial devido à falta de manutenção das estradas.

© Reuters Photographer / Reuters (Arquivo)

"Posso conformar que houve um acidente horrível envolvendo um autocarro de passageiros e um minibus", afirmou hoje Charity Charamba, porta-voz da polícia, indicando que 28 pessoas, entre elas os dois motoristas, morreram no local e duas outras a caminho do hospital.

Segundo Charamba, 32 dos 36 feridos estão em estado crítico.

O acidente, segundo o porta-voz, ocorreu quando rebentou um dos pneus de um dos autocarros, com a viatura a guinar para o sentido contrário, onde chocou de frente com o minibus.

"Pelo que já pudemos perceber, um ou os dois motoristas estavam a acelerar" quando se deu o acidente, acrescentou o porta-voz policial.

O acidente ocorreu dias após cinco pessoas terem morrido numa outra colisão resultante também do rebentamento de um pneu.

Os acidentes rodoviários são comuns no Zimbabué, cujas autoestradas estão cheias de buracos devido à falta de manutenção.

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.