sicnot

Perfil

Mundo

Coreia do Sul e EUA iniciam as suas maiores manobras militares conjuntas

A Coreia do Sul e os Estados Unidos iniciaram hoje aquelas que serão as suas maiores manobras militares conjuntas até à data num clima de grande tensão, depois de a Coreia do Norte ter ameaçado realizar "ataques preventivos".

Arquivo

Arquivo

© Kim Hong-Ji / Reuters

Os exercícios anuais Key Resolve e Foal Eagle, orientados para coordenar a defesa de Seul e Washington, face a um eventual conflito com a Coreia do Norte, começaram ao início do dia e prolongar-se-ão até 18 de março e 30 de abril, respetivamente, anunciaram as forças dos Estados Unidos na Coreia do Sul, em comunicado.

Os exercícios deste ano estão marcados pelas ameaças do regime de Kim Jong-un, que prometeu hoje responder com "ataques preventivos".

Nas manobras militares conjuntas deste ano, em território sul-coreano, vão participar cerca de 17 mil soldados norte-americanos, segundo o comunicado.

Ambas as manobras serão as de maior escala levadas a cabo até à data na península coreana, segundo indicaram as autoridades de Seul e Washington, e vão envolver também mais de 300 mil militares sul-coreanos.

Os Estados Unidos mantêm 28.500 militares na Coreia do Sul de forma permanente e comprometem-se a defender o seu aliado de um eventual ataque por parte do Norte como legado da Guerra da Coreia.

Lusa

  • A estreia de Centeno como líder do Eurogrupo
    1:56
  • Puigdemont chegou à Dinamarca e não foi detido

    Mundo

    A Justiça espanhola pediu à Dinamarca para ativar a ordem de detenção europeia contra Carles Puigdemont, que ignorou as ameaças de detenção e decidiu deslocar-se a Copenhaga para participar numa conferência. Entretanto na Catalunha, o presidente do parlamento propôs Puigdemont para voltar a dirigir o Governo Regional.

  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

    Luís Marques Mendes