sicnot

Perfil

Mundo

Milhares de japoneses continuam em abrigos temporários cinco anos após tsunami

Milhares de pessoas retiradas de suas casas devido ao tsunami que arrasou o nordeste do Japão em março de 2011 continuam em abrigos temporários e muitas não regressarão aos locais onde viviam até 2021, informaram hoje as autoridades.

Milhares de japoneses só deverão conseguir regressar a suas casas em 2021

Milhares de japoneses só deverão conseguir regressar a suas casas em 2021

© Yuriko Nakao / Reuters

Cerca de 59 mil pessoas de Iwate, Miyagi e Fukushima continuam a viver em abrigos temporários até hoje depois de terem sido retiradas das suas casas devido ao desastre natural, o que representa aproximadamente metade do número máximo de deslocados que se chegou a alcançar, segundo os mais recentes dados disponíveis.

Os 46 municípios afetados trabalham na reabilitação das zonas devastadas e na construção de novas casas, para quem perdeu as suas, mas em muitos casos enfrentam dificuldades que as impedirão de completar essas tarefas a curto e médio prazo.

Em Otsuchi, uma localidade de Iwate, os 2.900 habitantes que continuam deslocados -- aproximadamente um quarto da população total -- não poderão regressar até pelo menos março de 2021, declarou um porta-voz do município à agência Kyodo.

Tal deve-se ao facto de as autoridades locais não conseguirem encontrar terrenos adequados para construir habitações em zonas mais altas, acima do nível do mar, segundo o porta-voz.

As autoridades de outras localidades avançaram que não preveem completar até 2019 os trabalhos necessários para que todos os deslocados possam regressar devido às dificuldades ao nível do financiamento e da mão-de-obra necessárias.

Dos 46 municípios consultados pela Kyodo, 17 não fizeram qualquer prognóstico sobre quando os moradores poderão regressar às suas casas.

Entre eles figuram 11 localidades de Fukushima, onde também há dezenas de milhares de pessoas que foram retiradas dos locais onde viviam devido ao desastre nuclear causado pelo sismo seguido de tsunami de 11 de março de 2011.

Na próxima sexta-feira completam-se cinco anos desde o desastre natural, que deixou 18.500 mortos ou desaparecidos no Japão.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.