sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos oito mortos e 21 feridos em atentado no Paquistão

Um bombista suicida fez-se explodir hoje junto a um tribunal no noroeste do Paquistão, causando pelo menos oito mortos e 21 feridos, informou a polícia.

Arquivo Reuters

Arquivo Reuters

© Naseer Ahmed / Reuters


O atentado ocorreu durante a hora de ponta na cidade de Shabqadar.

"Um bombista suicida fez-se explodir no interior do complexo do tribunal. Oito pessoas morreram e 21 outras ficaram feridas", indicou Fayaz Khan, da polícia, à agência noticiosa AFP.

Sohail Khalid, chefe da polícia do distrito de Charsadda, onde se localiza Shabqadar, confirmou o atentado suicida e detalhou que entre as vítimas mortais figuram dois agentes.

"Estamos a investigar a natureza da explosão. De acordo com os dados preliminares, o bombista suicida entrou no complexo e um agente em serviço tentou travá-lo, mas ele fez-se explodir", especificou Sohail Khalid.

A autoria do atentado não foi ainda reivindicada por nenhum grupo.

Shabqadar situa-se perto de Mohmand, uma das sete áreas tribais do noroeste do país asiático, junto ao Afeganistão, e que escapam ao completo controlo da Administração, pelo que servem de refúgio a membros da Al-Qaida e a fações 'jihadistas' afegãs e paquistanesas.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.