sicnot

Perfil

Mundo

Amnistia Internacional condena acordo UE-Turquia para refugiados por desumanidade

A Amnistia Internacional (AI) criticou hoje o princípio de acordo entre a União Europeia (UE) e a Turquia para travar o fluxo para a Europa dos imigrantes ilegais e refugiados, considerando-o desumano e com "defeitos morais e legais".

reuters

A organização referiu num comunicado que a "preocupação constante" de enviar as pessoas de volta para a Turquia em vez de "fazer esforços incondicionais sobre a deslocalização" e oferecer outras formas seguras e legais para estes chegarem à Europa mostra uma atitude "alarmante e míope" por parte das autoridades europeias.

Os líderes da UE e da Turquia estão engajados numa "negociação isolada dos direitos e da dignidade de algumas das pessoas mais vulneráveis do mundo", acusou a diretora da AI junto das instituições europeias, Iverna McGowan.

As condições do princípio de acordo entre a UE e a Turquia, segundo Iverna McGowan, é "perigosamente desumana" e também "não oferece solução sustentável a longo prazo" para enfrentar a crise.

Ancara pediu um compromisso dos 28 para que recebam um refugiado por cada migrante que seja admitido na Turquia.

A AI disse não acreditar que a Turquia possa ser considerado como "um país seguro" devido ao tratamento dados aos refugiados", já que "já devolveram refugiados à Síria" e o país "não conta com um sistema de asilo em pleno funcionamento".

"Muitos refugiados na Turquia vivem em condições terríveis, sem uma casa adequada e centenas de milhares de crianças refugiadas não podem frequentar uma educação formal", afirmou a diretora.

A AI qualificou a proposta como uma burla à obrigação da UE de proporcionar acesso ao asilo nas suas fronteiras, manifestando que qualquer sistema de retorno que não se baseie no princípio do direito individual a um procedimento de asilo justo é "muito problemático".

A organização também alertou que com o encerramento da rota dos Balcãs Ocidentais, milhares de pessoas estão a ser "deixadas ao frio" e que não há um plano claro sobre como lidar com "as necessidades humanitárias urgentes e os direitos à proteção internacional" dessas pessoas.

No que diz respeito aos requerentes de asilo que não são da Síria, a Amnistia Internacional disse que não ficou claro como serão garantido os seus direitos no contexto de um possível sistema de retorno em grande escala.

  • Incêndio em Lisboa faz um ferido
    4:13

    País

    Um incêndio de grandes dimensões deflagrou esta segunda-feira numa loja, na Avenida de Berlim, em Lisboa. O repórter André Palma esteve no local, onde ouviu o comandante dos Sapadores Bombeiros de Lisboa. Pedro Patricio confirmou que foi assistida uma pessoa por inalação de fumos e, por questões de segurança, os veículos estacionados perto do local foram retirados, assim como foi pedido às pessoas dos prédios à volta que saíssem por causa do fumo. O incêndio foi dominado.

  • "Rui Rio avisou que vinha para partir loiça dentro do PSD"
    3:00
  • Hugo Soares não deverá continuar como líder parlamentar do PSD
    3:17

    País

    Rui Rio não deverá manter Hugo Soares na liderança parlamentar do PSD. Fonte próxima do novo presidente social-democrata diz à SIC que dificilmente o líder da bancada poderá continuar no cargo. Aumenta a pressão para que Hugo Soares ponha o lugar à disposição e já começam a surgir nomes para o substituir.

  • Suspeita de militantes fantasma no PSD
    4:22

    País

    Perante a suspeita de militantes fantasma e de caciquismo, Salvador Malheiro, diretor de campanha de Rui Rio, diz que o ato eleitoral foi devidamente fiscalizado. Uma investigação do jornal Expresso encontrou oito filiados numa morada que não existe e 17 militantes com morada numa casa onde vivem nove pessoas e nenhuma é do PSD. A associação cívica Transparência e Integridade fala num vazio legal e em falta de regulamentação.

  • Cristiano Ronaldo está insatisfeito com o salário e pode sair do Real Madrid
    2:38