sicnot

Perfil

Mundo

Aumento do uso de contracetivos em África pode conter população global

O número de mulheres a usar contracetivos nos países em desenvolvimento cresceu exponencialmente. De tal forma, realçam as Nações Unidas, que a projeção sobre o crescimento da população nos próximos 15 anos pode ser reduzida em mil milhões de pessoas.

Reuters

Os dados das Nações Unidas mostram que mais do que nunca as mulheres estão a fazer planeamento familiar.

O ano passado, cerca de 64% das mulheres casadas ou a viver em união de facto, entre os 15 e os 49 anos, em países africanos, usavam métodos novos ou tradicionais de planeamento familiar. Nos anos 70, a taxa era de 36%.

A Udesa - Departamento para os Assuntos Económicos e Sociais das Nações Unidas - prevê que nos próximos 15 anos aumente ainda mais o uso de contracetivos em África, a região com mais procura, mas também com menos acesso aos mesmos.

"Os dados mostram-nos que as mulheres com acesso ao planeamento familiar escolhem fazer planeamento familiar, resultando frequentemente em famílias mais pequenas, maiores realizações educacionais, crianças mais saudáveis e maior influência doméstica e nas comunidades", revela Jagdish Upadhyay, da ONU.

De acordo com a agência da ONU, a população mundial será de 8 mil milhões a 9 mil milhões de pessoas em 2030.

  • Quem são os arguidos da operação Fizz
    2:29

    País

    É já considerado o julgamento do ano da justiça portuguesa e o caso que está a abalar as relações entre Portugal e Angola. O processo da operação Fizz tem quatro arguidos, mas um deles, já é certo, não irá sentar-se esta segunda-feira no banco dos réus.

  • Que shutdown é este que paralisou os EUA?
    2:27
  • Quase 100 atletas testemunharam contra médico Larry Nassar
    1:38

    Desporto

    Quase 100 atletas e antigas ginastas da seleção dos Estados Unidos da América confrontaram esta semana, em tribunal, o médico Larry Nassar, acusado de assédio sexual. Em dezembro, o clínico foi condenado a 60 anos de prisão por um tribunal do Michigan, por posse de pornografia infantil.