sicnot

Perfil

Mundo

Cientistas preparam-se para clonar leões pré-históricos

Uma equipa de cientistas russos e sul coreanos preparam-se para clonar leões da era glaciar, que desapareceram da terra há 12 mil anos, com recurso a duas crias descobertas, na República da Iacútia.

Cria de leão-das-cavernas encontrado em agosto do ano passado na República da Iacútia

Cria de leão-das-cavernas encontrado em agosto do ano passado na República da Iacútia

Vera Salnitskaya

Cria de leão-das-cavernas encontrado em agosto do ano passado na República da Iacútia

Cria de leão-das-cavernas encontrado em agosto do ano passado na República da Iacútia

Vera Salnitskaya

Cria de leão-das-cavernas encontrado em agosto do ano passado na República da Iacútia

Cria de leão-das-cavernas encontrado em agosto do ano passado na República da Iacútia

Vera Salnitskaya

O projeto junta cientistas da Rússia e da Coreia do Sul na Fundação de Paleontologia Molecular da Universidade de Yakutsk.

O projeto junta cientistas da Rússia e da Coreia do Sul na Fundação de Paleontologia Molecular da Universidade de Yakutsk.

Galina Mozolevskaya

São as amostras mais bem preservadas, alguma vez encontradas, desta espécie. Duas crias de leão-das-cavernas com nome: Dina e Uyan.

Foram encontradas, há cerca de um ano e teriam entre uma a duas semanas quando morreram.

"Os olhos ainda estavam fechados, têm ainda dentes de leite e muitos ainda não nasceram", explicou Albert Protopopov, do departamento de estudos da fauna de mamutes da Academia de Ciências de Yakutian, que "tropeçou" nestas descobertas em agosto do ano passado.

Estão tão bem preservadas (como se pode ver nas fotografias) que os cientistas já puseram mãos à obra para as clonar. O facto de terem estado, durante milhares de anos, no subsolo rochoso e gelado da República da Iacútia, na Rússia, permitiu que resistissem intactas.

Os cientistas esperam agora encontrar tecidos vivos no interior das amostras, que contenham ADN, para recriar a espécie.

Acreditam que a clonagem dos leões pode ser a chave para compreender o seu desaparecimento. São do período Plistoceno, onde se encontram os primeiros sinais da existência do homem, ou seja, a pré-história. (de 2.500.000 anos a 11.700 anos atrás).

A espécie desapareceu da terra há 12 mil anos.

O projeto junta cientistas da Rússia e da Coreia do Sul na Fundação de Paleontologia Molecular da Universidade de Yakutsk.

u

  • "Já só lhes resta uma coisa: bisbilhotar comunicações privadas"
    2:57

    Caso CGD

    O primeiro-ministro diz que o PSD atingiu o grau zero da política, quando chegou à "bisbilhotice" de querer ver as mensagens trocadas entre o ministro das Finanças e António Domingues. A polémica da Caixa Geral de Depósitos voltou a marcar o debate quinzenal, com António Costa a garantir que nunca esteve em causa a entrega de declarações da administração. Já o PSD e o CDS a acusaram o Governo de violar as regras da transparência e de oprimir os direitos da oposição.

  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • Técnica de defesa contra aperto de mão de Donald Trump
    1:39
  • Vídeo mostra aterragem de Harrison Ford que quase causou um desastre

    Mundo

    Harrison Ford quase provocou um grave acidente quando, ao pilotar um dos seus aviões, falhou a pista de aterragem e esteve muito perto de chocar contra um um Boeing 737, com mais de 100 pessoas a bordo. O incidente com o ator norte-americano, considerado um piloto experiente, aconteceu na passada segunda-feira, dia 13, no Condado de Orange, na Califórnia, e o momento foi captado em vídeo.

  • Descoberta nova espécie de primatas em Angola

    Mundo

    Uma equipa britânica de cientistas descobriu uma nova espécie de galagos anões, um primata pertencente à família dos galonídeos - comum na África subsariana -, na floresta ameaçada da Kumbira, localizada na província do Cuanza Sul, noroeste de Angola.

  • Vestidos da princesa Diana em exposição
    1:29

    Mundo

    As roupas mais emblemáticas da princesa Diana vão estar em exposição no Palácio de Kensington, em Londres, a partir de sexta-feira. O objetivo é mostrar a evolução do estilo da princesa de Gales, considerada um dos maiores ícones de moda de sempre.