sicnot

Perfil

Mundo

Cientistas preparam-se para clonar leões pré-históricos

Uma equipa de cientistas russos e sul coreanos preparam-se para clonar leões da era glaciar, que desapareceram da terra há 12 mil anos, com recurso a duas crias descobertas, na República da Iacútia.

Cria de leão-das-cavernas encontrado em agosto do ano passado na República da Iacútia

Cria de leão-das-cavernas encontrado em agosto do ano passado na República da Iacútia

Vera Salnitskaya

Cria de leão-das-cavernas encontrado em agosto do ano passado na República da Iacútia

Cria de leão-das-cavernas encontrado em agosto do ano passado na República da Iacútia

Vera Salnitskaya

Cria de leão-das-cavernas encontrado em agosto do ano passado na República da Iacútia

Cria de leão-das-cavernas encontrado em agosto do ano passado na República da Iacútia

Vera Salnitskaya

O projeto junta cientistas da Rússia e da Coreia do Sul na Fundação de Paleontologia Molecular da Universidade de Yakutsk.

O projeto junta cientistas da Rússia e da Coreia do Sul na Fundação de Paleontologia Molecular da Universidade de Yakutsk.

Galina Mozolevskaya

São as amostras mais bem preservadas, alguma vez encontradas, desta espécie. Duas crias de leão-das-cavernas com nome: Dina e Uyan.

Foram encontradas, há cerca de um ano e teriam entre uma a duas semanas quando morreram.

"Os olhos ainda estavam fechados, têm ainda dentes de leite e muitos ainda não nasceram", explicou Albert Protopopov, do departamento de estudos da fauna de mamutes da Academia de Ciências de Yakutian, que "tropeçou" nestas descobertas em agosto do ano passado.

Estão tão bem preservadas (como se pode ver nas fotografias) que os cientistas já puseram mãos à obra para as clonar. O facto de terem estado, durante milhares de anos, no subsolo rochoso e gelado da República da Iacútia, na Rússia, permitiu que resistissem intactas.

Os cientistas esperam agora encontrar tecidos vivos no interior das amostras, que contenham ADN, para recriar a espécie.

Acreditam que a clonagem dos leões pode ser a chave para compreender o seu desaparecimento. São do período Plistoceno, onde se encontram os primeiros sinais da existência do homem, ou seja, a pré-história. (de 2.500.000 anos a 11.700 anos atrás).

A espécie desapareceu da terra há 12 mil anos.

O projeto junta cientistas da Rússia e da Coreia do Sul na Fundação de Paleontologia Molecular da Universidade de Yakutsk.

u

  • Principais factos da acusação no caso BPN dados como provados

    País

    O coletivo de juízes responsável pelo julgamento do processo principal do caso BPN interrompeu perto das 13:00 a leitura do acórdão iniciada pelas 10:30. Os principais factos da acusação são dados como provados, mas a leitura deverá demorar algumas horas.

  • Greve na Função Pública vai afetar escolas, saúde e cultura

    País

    A greve nacional convocada para sexta-feira pela Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública (FNSTFPS) deverá afetar as escolas, a área da saúde e ainda da cultura, entre outros serviços, afirmou esta quarta-feira a dirigente sindical, Ana Avoila.

  • Papa pede a Trump para ser pacificador
    1:12
  • Supremo confirma condenação de Messi por fraude fiscal

    Desporto

    O Supremo Tribunal de Justiça espanhol confirma a condenação de Lionel Messi por fraude fiscal. A notícia foi avançada pelo El País. O jogador do Barcelona foi condenado a 21 meses de prisão por três crimes fiscais que lesaram o Estado em 4,1 milhões de euros.

  • Autódromo do Estoril está ilegal há 45 anos

    Desporto

    De acordo com o Público este equipamento desportivo, inaugurado na década de 70, não tem licença de construção nem de utilização. Uma notícia que apanhou de surpresa o executivo camarário de Cascais, liderado por Carlos Carreiras.

  • Seca na Bacia do Sado exige restrições ao uso da água no Alentejo

    País

    A Agência Portuguesa do Ambiente aprovou hoje um conjunto de medidas para gestão dos recursos hídricos, definindo medidas específicas para a bacia hidrográfica do Sado, a única que se encontra em situação de seca. Além da diminuição de regas em hortas e jardins, a APA recomenda o encerramento das fontes decorativas, a proibição de encher piscinas e de lavagem de automóveis.