sicnot

Perfil

Mundo

Indonésia assistiu ao único eclipse total do Sol este ano

Indonésia assistiu ao único eclipse total do Sol este ano

Milhares de pessoas assistiram hoje na Indonésia ao único eclipse total do Sol de 2016, que também pôde ser visto parcialmente na maior parte do Sudeste Asiático.

O eclipse começou a observar-se na ilha de Samatra, no oeste da Indonésia, às 06:20 (23:20 de terça-feira em Lisboa), e foi avançando para leste para dezenas de províncias nas ilhas do Bornéu, Célebes e Molucas, antes de entrar no Pacífico adentro.

Um dos lugares onde foi possível observar o eclipse total foi Palu, na região central das Célebes, até onde se deslocou uma equipa de astrónomos liderada pelo espanhol Miquel Serra-Ricart, do Instituto de Astrofísica das Canárias (IAC).

O astrónomo explicou à agência Efe, ao telefone, que inicialmente era um eclipse "complicado" de "reduzido interesse" devido à instabilidade atmosférica habitual, mas que depois a visibilidade do dia o converteu num dos melhores.

"Foi impressionante. Não me recordo, desde o de 2008 na Rússia, de um eclipse tão límpido, sem nuvens, com um ar tão transparente", disse Serra-Ricart, após assistir ao seu 13.º eclipse total do sol.

Uma equipa da NASA também viajou para a Indonésia para observar o fenómeno, que despertou a curiosidade não só de cientistas mas de milhares de turistas.

Os eclipses do sol têm lugar quando, a partir da perspetiva da Terra, a Lua passa à frente do sol, ocultando-o. Dependendo do ponto do planeta onde se encontra o observador, o fenómeno pode ser total, anular ou parcial.

O eclipse é total quando toda a superfície do sol fica coberta pela lua; anular quando a lua -- um pouco mais afastada da Terra -- não chega a cobrir totalmente a superfície do sol e deixa visível um anel solar; e parcial quando apenas uma parte do sol fica ocultada pela lua.

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.