sicnot

Perfil

Mundo

Nicolás Maduro reitera que não o afastarão da presidência da Venezuela

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, minimizou esta quarta-feira o anúncio da oposição, em maioria no parlamento, de que vai acionar mecanismos para o afastar do poder, sublinhando que "Maduro é o povo".

© Carlos Garcia Rawlins / Reute

"Maduro é o povo e é revolução. Que parte disso não entenderam?", disse, no palácio presidencial de Miraflores, em Caracas, à margem de um encontro com milhares de mulheres que com uma marcha até ao local celebraram o Dia Internacional da Mulher e manifestaram apoio à revolução bolivariana e ao Governo de Nicolas Maduro.

"Deixem a MUD (Mesa de Unidade Democrática, que junta a oposição ao Governo no parlamento) com as suas loucuras e obsessões, que com uma mão os paramos e os denunciamos e com a outra (vamos) trabalhar", disse.

Segundo o Chefe de Estado, se os opositores "cruzarem a linha vão encontrar um povo com consciência clara".

"E eu (estarei) à frente, confrontando qualquer tentativa de desestabilizar o nosso país", disse.

A oposição venezuelana, maioritária no parlamento, anunciou na terça-feira, durante uma conferência de imprensa em Caracas, que vai lançar um "processo" para a realização de um referendo de revogação do mandato presidencial de Nicolás Maduro.

"Afastar Maduro é um passo, o nosso objetivo é construir uma Venezuela unida", disse Jesus Chuo Torrealba, secretário executivo da MUD, acrescentando que a oposição vai avançar ainda com uma reforma constitucional para reduzir a duração do mandado presidencial de seis para quatro anos.

A oposição apelou ainda aos venezuelanos para se mobilizarem e pedirem a demissão de Nicolás Maduro.

Lusa

  • Younes Abouyaaqoub, o homem mais procurado de Espanha
    1:53
  • Vila de Gavião viu-se cercada pelas chamas
    2:17
  • Costa desafia PSD para pacto depois das autárquicas
    1:14
  • "Trump, deixe-me ajudá-lo a escrever o discurso"
    0:47

    Mundo

    Arnold Schwarzenegger diz que Donald Trump tem o dever moral de se opor ao ódio e ao racismo. Num vídeo publicado nas redes sociais, o ator norte-americano e antigo governador da Califórnia encenou o discurso que Donald Trump devia ter. 

  • Hino da SIC tocado pela viola beiroa
    2:22