sicnot

Perfil

Mundo

Traços do rosto humano modificaram com introdução de carne na alimentação

A introdução de carne crua na dieta e o uso de instrumentos de pedras básicos permitiu a redução do tamanho do rosto e dentes dos hominídeos, segundo um estudo divulgado hoje na revista britânica "Nature".

© Laszlo Balogh / Reuters

O estudo sugere que a carne e os instrumentos do Paleolítico, e não a posterior chegada da cozinha, permitiram a redução do tamanho dos traços relacionados com o ato de mastigar, incluindo do rosto e dos dentes.

O processo de seleção permitiu também melhorar outras funções como a fala e a termorregulação.

No tempo do Homo Erectus (há dois milhões de anos), os seres humanos desenvolveram cérebros e corpos que exigiam maiores reservas de energia diária.

Ao mesmo tempo, também desenvolveram dentaduras mais pequenas, músculos de mastigação e mandíbulas mais débeis, assim como intestinos menores do que nas anteriores espécies.

A investigação sugere que aquelas mudanças foram possíveis com a inclusão de mais carne na dieta, no processamento da comida através de ferramentas de pedra e com o cozinhar dos alimentos, apesar de aquela prática apenas se tornar comum há 500.000 anos.

Daniel Lieberman e Katherine Zink, da Universidade de Harvard, avaliaram como as técnicas de processamento de alimentos no Paleolítico afetaram o esforço necessário na mastigação.

Descobriram que ao picar a carne e triturar as verduras com os instrumentos de pedra, antes de os ingerir, o homem primitivo gastava menos energia na mastigação.

Os cientistas concluíram que aquela redução do esforço para mastigar produziu uma transformação nos músculos do rosto.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.