sicnot

Perfil

Mundo

Deputadas iranianas apresentam queixa contra deputado que as considerou ignorantes

Deputadas iranianas apresentaram uma queixa contra um colega masculino que considerou que no parlamento não há lugar para "ignorantes e mulheres", referiram hoje os "media" em Teerão.

Parlamento iraniano.

Parlamento iraniano.

© Raheb Homavandi / Reuters

Um vídeo mostra um novo deputado conservador, Neder Ghazipour, eleito por d'Ouroumiyeh (noroeste), a pronunciar estas palavras durante um comício eleitoral em fevereiro, e que foi amplamente difundido e comentado nas redes sociais.

"O parlamento não é um lugar para (...) ignorantes e mulheres", disse no discurso, acrescentando ainda comentários deselegantes dirigidos às mulheres.

Diversas deputadas iranianas, juntamente com colegas masculinos, apresentaram uma queixa junto do procurador-geral, da comissão parlamentar de vigilância, do presidente cessante do parlamento, Ali Larijani, e ainda a Fatemeh Rahbar, presidente do grupo das eleitas para o hemiciclo, referiu a agência noticiosa oficial Irna.

"Ghazipour acusou as mulheres e deve ser considerado responsável", indicou Rahbar, do campo conservador, em declarações à Irna. Ao jornal reformador Sharg declarou que as suas declarações constituem "não apenas um insulto às mulheres, mas a todo o parlamento".

Perante as ameaças de um processo, o deputado turcófono limitou-se a referir que não pretendia referir-se "a todas as mulheres".

Na rede social Telegram foi iniciada uma campanha para exigir que o novo eleito por d'Ouroumiyeh, que inicia as suas funções em maio, seja impedido de assumir funções no parlamento.

Atualmente existem nove mulheres entre os 290 lugares no parlamento, mas serão pelo menos 14 na próxima assembleia eleita nas legislativas de 26 de fevereiro. Em abril, está prevista uma segunda volta para preencher os 69 lugares ainda sem representante.

Perante o grande desequilíbrio num país onde 50,4% dos 79 milhões de habitantes são mulheres, militantes da causa feminista organizaram antes das eleições uma campanha designada "Mudar a face masculina do parlamento".

Lusa

  • Partidos exigem explicações sobre transferências para offshores entre 2011 e 2014

    Economia

    O PS junta-se ao PCP, o Bloco de Esquerda e o PSD no pedido para a audição urgente do antigo e o atual secretário de Estado dos Assuntos Fiscais sobre a falta de controlo do Fisco às transferências de dinheiro para paraísos fiscais. Em causa está a transferência de 10 mil milhões de euros para offshores. O CSD é o único partido que ainda não se pronunciou.