sicnot

Perfil

Mundo

Deputadas iranianas apresentam queixa contra deputado que as considerou ignorantes

Deputadas iranianas apresentaram uma queixa contra um colega masculino que considerou que no parlamento não há lugar para "ignorantes e mulheres", referiram hoje os "media" em Teerão.

Parlamento iraniano.

Parlamento iraniano.

© Raheb Homavandi / Reuters

Um vídeo mostra um novo deputado conservador, Neder Ghazipour, eleito por d'Ouroumiyeh (noroeste), a pronunciar estas palavras durante um comício eleitoral em fevereiro, e que foi amplamente difundido e comentado nas redes sociais.

"O parlamento não é um lugar para (...) ignorantes e mulheres", disse no discurso, acrescentando ainda comentários deselegantes dirigidos às mulheres.

Diversas deputadas iranianas, juntamente com colegas masculinos, apresentaram uma queixa junto do procurador-geral, da comissão parlamentar de vigilância, do presidente cessante do parlamento, Ali Larijani, e ainda a Fatemeh Rahbar, presidente do grupo das eleitas para o hemiciclo, referiu a agência noticiosa oficial Irna.

"Ghazipour acusou as mulheres e deve ser considerado responsável", indicou Rahbar, do campo conservador, em declarações à Irna. Ao jornal reformador Sharg declarou que as suas declarações constituem "não apenas um insulto às mulheres, mas a todo o parlamento".

Perante as ameaças de um processo, o deputado turcófono limitou-se a referir que não pretendia referir-se "a todas as mulheres".

Na rede social Telegram foi iniciada uma campanha para exigir que o novo eleito por d'Ouroumiyeh, que inicia as suas funções em maio, seja impedido de assumir funções no parlamento.

Atualmente existem nove mulheres entre os 290 lugares no parlamento, mas serão pelo menos 14 na próxima assembleia eleita nas legislativas de 26 de fevereiro. Em abril, está prevista uma segunda volta para preencher os 69 lugares ainda sem representante.

Perante o grande desequilíbrio num país onde 50,4% dos 79 milhões de habitantes são mulheres, militantes da causa feminista organizaram antes das eleições uma campanha designada "Mudar a face masculina do parlamento".

Lusa

  • UGT reivindica que salário mínimo ultrapasse os 600€
    0:26

    Economia

    O secretário-geral da UGT reivindica que até 2019 o salário mínimo nacional ultrapasse os 600 euros. Este sábado, num congresso distrital na Guarda, Carlos Silva considerou que o Governo tem condições para ir mais além e voltou a defender que para o próximo ano o patamar mínimo para a negociação deve ser os 585 euros.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.