sicnot

Perfil

Mundo

Oposição venezuelana debate Lei de Referendos para afastar Nicolás Maduro do poder

O parlamento venezuelano, onde a oposição é maioritária, realizou hoje o primeiro de três debates sobre a Lei de Referendos, iniciativa que visa "impedir bloqueios" na realização de uma consulta popular para afastar o Presidente Nicolás Maduro do poder.

© Carlos Garcia Rawlins / Reute

"Acabou-se a manipulação dos referendos porque aqui teremos uma Lei da República, com prazos lógicos para que o povo se expresse", disse o deputado Enrique Márquez, da aliança Mesa de Unidade Democrática (MUD), da oposição, durante a sessão.

Segundo aquele deputado, a nova lei pretende "retirar ao Conselho Nacional Eleitoral a discricionariedade que tem sobre a aplicação de um referendo revogatório no país".

"Hoje, quando o povo decide ir a um refendo de um governador, alcaide (presidente de câmara), ou Presidente, tem que ir de estação em estação e percorrer uma via-sacra infinita devido ao atual regulamento. A Constituição diz que os mandados são revogáveis mas isso não tem acontecido. Esta lei é a porta de entrada para a consolidação política do país", frisou.

No mesmo sentido, o deputado Juan Miguel Matheus, também da MUD, explicou que se a nova Lei de Referendos não for aprovada poderá ocorrer "um estalido social" na Venezuela, porque o Governo nega-se a aceitar as iniciativas da oposição e "torpedeia" o parlamento, mantendo o país "numa panela de pressão".

"O referendo revogatório é um mecanismo da democracia participativa, para que o povo da Venezuela seja o juiz e controle a legitimidade do exercício do poder Executivo", disse.

O líder dos deputados do Partido Socialista Unido da Venezuela (o partido do Governo), Héctor Rodríguez, condenou a iniciativa parlamentar, em nome dos socialistas, e acusou a oposição de "pôr as suas aspirações de poder acima das necessidades do país".

A Constituição da Venezuela prevê que os cargos de eleição popular possam ser submetidos a referendos revogatórios. No caso do mandado presidencial o referendo revogatório pode realizar-se uma vez cumprida mais da metade da duração do mandato presidencial de seis anos, a pedido de pelo menos 20% dos eleitores.

No passado dia 08 de março, a MUD anunciou o lançamento do "processo" para a realização de um referendo de revogação do mandato presidencial de Nicolás Maduro.

O anúncio teve lugar em conferência de imprensa pelo secretário executivo da MUD, Jesus Chuo Torrealba.

"Afastar (Nicolás) Maduro é um passo, o nosso objetivo é construir uma Venezuela unida", disse na ocasião, acrescentando que a oposição vai avançar ainda com uma reforma constitucional para reduzir a duração do mandado presidencial de seis para quatro anos.

Segundo a MUD, antes do referendo revogatório do mandado presidencial e oposição vai aprovar uma "lei de referendos" que visa "impedir o bloqueio ou demoras neste mecanismo constitucional que é um direito cidadão".

Lusa

  • Polémica sobre offshore intensifica guerra de palavras entre PSD e Governo
    2:39
  • DGO divulga hoje execução orçamental de janeiro

    Economia

    A Direção-Geral do Orçamento (DGO) divulga hoje a síntese de execução orçamental em contas públicas de janeiro, sendo que o Governo estima reduzir o défice para 1,6% do Produto Interno Bruto (PIB) em contabilidade nacional em 2017.

  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.