sicnot

Perfil

Mundo

Sul-africana que raptou bebé declarada culpada 18 anos depois

Uma sul-africana de 50 anos, que raptou uma bebé de uma maternidade há 18 anos e educou como filha, foi hoje declarada culpada por um tribunal da Cidade do Cabo.

Arquivo

Arquivo

© Mike Hutchings / Reuters

Esta mulher, cuja identidade não foi divulgada para proteger a vítima, incorre numa pena de até cinco anos de prisão.

"Foi evidentemente a autora do rapto da bebé do hospital", declarou o juiz John Hlophe, rejeitando a versão da acusada de que a bebé lhe tinha sido confiada por uma desconhecida.

O tribunal recusou o pedido de libertação sob caução, apresentado pela acusada, que ficará presa pelo menos até 30 de maio, data marcada para o anúncio da sentença.

A verdadeira identidade da jovem raptada, chamada Zephany pelos pais biológicos, foi conhecida no início do ano passado, quando tinha 17 anos, numa escola secundária da Cidade do Cabo.

Os colegas notaram que Zephany, então no último ano do liceu, era muito parecida com Cassidy Nurse, uma nova aluna da escola.

Celeste e Morne Nurse, pais de Cassidy, nunca desistiram de encontrar Zephany e alertaram de imediato a polícia.

As análises de ADN estabeleceram que as duas raparigas eram irmãs e que Zephany era a bebé raptada em 1997. Sem saberem, as duas famílias viviam a poucos quilómetros de distância.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.