sicnot

Perfil

Mundo

Dilma Rousseff considera uma injustiça o pedido de prisão de Lula

A chefe de Estado brasileira Dilma Rousseff afirmou hoje que o pedido de prisão preventiva contra o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva solicitado pelo Ministério Público de São Paulo é um ato de injustiça.

© Ueslei Marcelino / Reuters

"Não existe base nenhuma para o pedido de prisão. É um ato de injustiça. O governo repudia em género, número e grau este ato contra o Presidente Lula", disse Dilma.

A Presidente fez estas declarações no final de um encontro com reitores de universidades federais do país, no qual disse também que não vai renunciar a seu mandato, apesar da crise política que abala o país.

"Ninguém tem o direito de pedir a minha renúncia sem dar elementos comprobatórios de que eu tenha, de alguma forma, ferido qualquer inciso da Constituição", afirmou.

Quinta-feira, o Ministério Público de São Paulo anunciou que pediu a prisão preventiva do ex-Presidente Lula, alegando que existem "exaustivos argumentos" contra ele.

Os promotores paulistas acusam o líder histórico do Partido dos Trabalhadores de ter praticado os crimes de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica, porque ele supostamente ocultou a propriedade de um apartamento triplex na cidade litoral do Guarujá.

Além do político, a sua mulher, Marisa Letícia, um dos filhos, Fábio Luís Lula da Silva e outras 13 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público, num inquérito que corre em São Paulo, sem relação direta com a Operação Lava Jato, que investiga atos de corrupção envolvendo políticos e a petrolífera Petrobras.

Depois da prisão de Lula ter sido pedida, o Partido dos Trabalhadores (PT), do qual tanto Lula como a atual presidente Dilma são militantes, considerou que a ação dos promotores paulistas não tem "fundamento" e foi apenas um "evento mediático".

Opositores do governo também demostraram ressalvas. O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), maior partido de oposição ao governo federal do Brasil, divulgou um comunicado pedindo "cautela" e afirmando que a prisão de Lula seria desnecessária.

"Não estão presentes os fundamentos que autorizam o pedido de prisão preventiva, até porque o Ministério Público Federal e a Polícia Federal fizeram buscas e apreensões muito recentemente buscando provas", lê-se no comunicado assinado pelo senador do PSDB Cássio Cunha Lima.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

  • Monumentos de 7 mil cidades às escuras por 1 hora
    2:51