sicnot

Perfil

Mundo

Sobrevivente do Holocausto declarado o homem mais velho do mundo

O homem mais velho do mundo é um sobrevivente do Holocausto com 112 anos, que vive em Haifa (noroeste de Israel), anunciou hoje a Guinness World Records.

Segundo a sua família, Yisrael Kristal nasceu no que é atualmente a Polónia a 15 de setembro de 1903, três meses antes dos irmãos Wright efetuarem o primeiro voo com um avião com motor, e esteve no campo de concentração de Auschwitz.

"Não sei o segredo para ter uma vida longa. Acredito que tudo está destinado e que nunca saberemos as razões. Homens mais inteligentes, mais fortes e mais bonitos do que eu já não estão vivos", disse Kristal num comunicado de reação à notícia.

O anterior homem mais velho do mundo, o japonês Yasutaro Koide, morreu em janeiro aos 112 anos.

Yisrael Kristal é quatro anos mais novo que a mulher mais velha do mundo, a norte-americana Susannah Mushatt Jones, nascida a 06 de julho de 1899 e com 116 anos.

O recorde de longevidade humana reconhecido oficialmente pertence à francesa Jeanne Louise Calment, que viveu 122 anos e 164 dias e morreu em 1997.

Lusa

  • Portugal vai fechar fronteiras durante a visita do Papa

    País

    O Conselho de Ministros aprovou hoje a reposição temporária do controlo de fronteiras durante a visita do papa Francisco em maio a Fátima. A reposição do controlo de fronteiras decorrerá entre 00:00 de 10 de maio e as 00:00 de 14 de maio.

  • "Civis devem ser prioridade absoluta no Iraque", diz Guterres

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, chegou hoje ao Iraque para abordar a situação da ajuda humanitária, e pediu que a proteção dos civis seja a "prioridade absoluta" à medida que as forças iraquianas batalham para retomar Mossul.

  • Fomos conhecer o novo Samsung S8
    1:42
  • E depois do Brexit?
    3:42
  • Britânicos a viver no Algarve falam em desilusão
    2:32

    Brexit

    Para muitos dos britânicos que vivem no Algarve, o Brexit é a confirmação de que o resultado surpreendente do referendo não tem retorno. Certificados de residência e até a dupla nacionalidade são questões que a partir de agora passam a estar em cima da mesa.