sicnot

Perfil

Mundo

Martin Schulz critica Frente Nacional francesa

O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, criticou hoje a Frente Nacional, considerando que o partido de extrema-direita francês identifica os "bodes expiatórios" mas nunca apresenta propostas concretas.

Ebrahim Noroozi

"A Frente Nacional é um partido que identifica os responsáveis, os bodes expiatórios: os imigrantes, o governo, o leste europeu, os europeus, os alemães, e todos os outros" disse Schulz ao canal de televisão francês I-Télé.

"Quando colocamos a questão concreta sobre soluções em relação, por exemplo, à deslocalização ou à concorrência desleal, é o silêncio. Não dizem nada", acrescentou.

"Vocês conhecem as propostas concretas da Frente Nacional para estes problemas? Quais são as propostas concretas desse partido?" questionou o presidente do Parlamento Europeu e dirigente social-democrata alemão.

Durante a entrevista, Schulz relativizou os êxitos do partido, liderado por Marine Le Pen desde 20111, que aumentou o número de eleitos em França e no Parlamento Europeu.

Referindo-se às regionais francesas de dezembro de 2015, Martin Schulz frisou que a Frente Nacional conseguiu 37 por cento dos votos mas que a participação nas eleições não ultrapassou os 58 por cento.

"A Frente Nacional é um partido, não é o partido dos franceses", conclui Martin Schulz.

Lusa

  • "Isto é a demagogia à solta"
    0:45

    Opinião

    Quem o diz é Luís Marques Mendes a propósito da aprovação esta semana da lei do CDS-PP que elimina o adicional do imposto sobre os combustíveis. O comentador da SIC critica a oposição por ter levado a votação uma lei inconstitucional e acusa ainda os parceiros de Governo de deslealdade. 

    Luís Marques Mendes

  • Comandante da Proteção Civil confiante nos meios de combate aos incêndios
    1:56

    País

    Depois das falhas apontadas ao sistema de comunicações SIRESP durante os incêndios do ano passado, o cComandante operacional da Proteção Civil diz que não há meios de comunicação infalíveis. Duarte Costa acredita que este verão será mais calmo do que anterior e contabiliza já mais de 2000 incêndios desde maio que não foram notícia.

  • Líderes europeus assinalam progressos para alcançar acordo sobre migrações
    2:02