sicnot

Perfil

Mundo

Merkel defende agravamento da leis do asilo

A chanceler alemã Angela Merkel defendeu hoje o agravamento da legislação sobre o asilo, no seu último discurso de campanha antes das eleições que se realizam domingo em três estados, tendo centrado a sua atenção na problemática dos refugiados.

Chanceler alemã Angela Merkel

Chanceler alemã Angela Merkel

© Kai Pfaffenbach / Reuters


Para encerrar a campanha, a União Democrata Cristã (CDU) escolheu o estado de Baden-Wüttenberg, onde o partido conservador de Angela Merkel perdeu o governo nos últimos comícios para a coligação formada entre os Verdes e os Sociais-democratas.

A crise dos refugiados dominou a campanha e Merkel defendeu a sua decisão de abrir as fronteiras no final do ano passado, tendo em conta a situação que se estava a viver na Hungria, mas também defendeu que é preciso endurecer a legislação relativa ao asilo, lembrando a sua promessa de agilizar a expulsão de quem não tem direito a asilo.

"Devem abandonar o nosso país" e "perderam o vosso tempo" foram algumas das afirmações dirigidas aos milhares de imigrantes ilegais que entram no país.

Entre os aplausos dos militantes reunidos hoje na localidade de Haigerloch, Merkel recordou todas as hipóteses e recursos que a Alemanha oferece para a integração dos refugiados e advertiu-os de que aceitá-los é um "dever" e não uma possibilidade.

A chanceler fez ainda referência aos graves acontecimentos registados em Colónia na passagem de ano, quando muitos homens terão agredido -- alguns sexualmente -- centenas de mulheres presentes no largo em frente à estação central de comboios.

Merkel destacou as reformas legais adotadas para reforçar o castigo e facilitar as expulsões dos estrangeiros que cometem crimes.

"Quem acredita que uma mulher não pode dizer nada, está simplesmente no país errado", defendeu.

Segundo as sondagens, em Baden-Württemberg, a CDU pode conseguir 29% dos votos, dez pontos menos do que há cinco anos, enquanto os Verdes obtêm 32% (mais oito pontos).

Lusa

  • "Serei o Presidente de todos os angolanos"
    2:06
  • Costa de Metro de Odivelas para Lisboa para relembrar corrida entre burro e Ferrari
    2:55

    Autárquicas 2017

    António Costa começou hoje o dia de campanha em Odivelas, para uma viagem de Metro até Lisboa, em que recordou a célebre corrida entre um burro e um Ferrari que protagonizou em 1993 quando foi canditado do PS à Câmara de Loures. Foi nesta cidade, onde ontem à noite, que desferiu um violento ataque a Pedro Passos Coelho, acusando-o de transformar o PSD num partido que não é digno de um Estado democrático.

  • O aeroporto de Beja, um "elefante branco" na planície alentejana
    4:33
  • Supervisão bancária origina novo diferendo entre Carlos Costa e Governo
    0:57

    Economia

    Reacendeu-se a guerra entre o Governo e o governador do Banco de Portugal. Em conferência na sede do banco, esta segunda-feira, Carlos Costa deixou uma crítica indireta ao novo modelo de supervisão bancária. O ministro das Finanças, Mário Centeno, não gostou e exigiu a Carlos Costa que se retratasse, mas o governador recusou-se.

  • Paciente há 15 anos em estado vegetativo consegue seguir objetos e mexer a cabeça

    Mundo

    Um homem de 35 anos, que ficou em estado vegetativo após um acidente de viação há 15 anos, deu sinais de consciência depois de lhe ter sido aplicada uma nova técnica de estimulação nervosa. Cirurgiões implantaram no paciente um pequeno aparelho que estimula o nervo vago, responsável pela ligação nervosa entre o cérebro e o resto do corpo. A intervenção aconteceu em França e a descoberta foi publicada na revista científica Current Biology.