sicnot

Perfil

Mundo

Autoridades venezuelanas localizaram quatro dos 28 mineiros massacrados

As autoridades venezuelanas confirmaram hoje que encontraram os restos de quatro dos 28 mineiros que a 4 de março último foram massacrados por desconhecidos na localidade venezuelana de Tumeremo, Estado de Bolívar, 880 quilómetros a sudeste de Caracas.

© Nacho Doce / Reuters

"Localizámos o sítio onde se encontram os restos das pessoas desaparecidas em Tumeremo, dentro da selva. Até agora encontrámos quatro cadáveres, não sabemos se todos estão ali", anunciou a procuradora geral da Venezuela.

Luísa Ortega Díaz explicou aos jornalistas que "uma equipa do Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminais (antiga Polícia Técnica Judiciária) e do Ministério Público" estão no lugar a exumar os restos mortais.

"Temos plenamente identificadas 18 das vítimas desaparecidas. Até agora temos a certeza de que se trata de (pelo menos) 21 pessoas desaparecidas", frisou.

A responsável precisou que foi detida uma pessoa e há uma ordem de detenção contra outras três pessoas por suspeita de envolvimento no massacre dos mineiros.

Entretanto as autoridades confiscaram 11 viaturas e um camião que alegadamente foi usado para transportar as vítimas.

A investigação surgiu com base numa denúncia, feita por familiares, sobre o desaparecimento de 28 mineiros, situação que originou protestos que durante vários dias bloquearam a estrada principal que liga o sudeste venezuelano com o norte do Brasil, zona que agora está ocupada pelos militares.

A imprensa venezuelana dá conta que os 28 mineiros teriam sido assassinados por um grupo de criminosos que tentou controlar uma das minas de ouro da localidade, mas as autoridades alegam que não têm dados precisos sobre o massacre.

O Governo venezuelano anunciou, recentemente, um novo plano mineiro para a zona sul do país, para impulsionar a exploração de ouro, diamantes, cobre, ferro e outros minerais.

Frequentemente aparecem denúncias na imprensa venezuelana de alegados "garimpeiros" que extraem ilegalmente ouro de minas venezuelanas.

Por outro lado, os ecologistas denunciam também com regularidade os danos ambientais nas minas.

Lusa

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.