sicnot

Perfil

Mundo

Putin ordena retirada das tropas russas do território sírio

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, ordenou hoje ao Ministério da Defesa para iniciar na terça-feira a retirada das forças russas da Síria. A Presidência russa indicou entretanto que o chefe de Estado sírio, Bashar al-Assad, concordou com a decisão de Putin.

© POOL New / Reuters

A Presidência russa indicou entretanto que o chefe de Estado sírio, Bashar al-Assad, concordou com a decisão de Putin.

"A tarefa que tinha sido solicitada ao nosso Ministério da Defesa e às nossas forças armadas foi globalmente conseguida e assim ordenei ao ministério para iniciar a partir da manhã [terça-feira] a retirada da maior parte dos nossos contingentes militares na República Árabe da Síria", afirmou Putin, dirigindo-se ao ministro da Defesa russo, Serguei Choigu, durante uma intervenção transmitida pela televisão.

Momentos depois destas declarações, o Kremlin (sede da Presidência russa) informou que Putin e o seu homólogo sírio, aliados de longa data, tinham concordado, durante uma conversa telefónica, com a retirada das forças russas da Síria.

A intervenção das forças aéreas russas na Síria teve início a 30 de setembro de 2015 e foi feita a pedido de Bashar al-Assad no âmbito da luta contra o terrorismo naquele país.

Moscovo vai, no entanto, manter uma presença aérea no território sírio para supervisionar a aplicação do cessar-fogo, que entrou formalmente em vigor no passado dia 26 de fevereiro, segundo indicou a Presidência russa.

"Os líderes registaram que as ações da força aérea russa permitiram alterar radicalmente a situação na luta contra o terrorismo, desorganizar as infraestruturas dos combatentes e infligir danos significativos sobre eles", indicou o comunicado do Kremlin.

"O Presidente da Rússia declarou que as principais operações pedidas às forças armadas foram concluídas. Foi acordado retirar a maior parte das forças aéreas russas", reforçou a mesma nota informativa.

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.